Projeto visa instituir em Rio Preto o controle da população de cães e gatos

O Projeto “Arca de Noé”, realizado pela Secretaria de Saúde de Rio Preto, por meio da Diretoria do Bem Estar Animal, será estendido no bairro Nova Esperança, até fevereiro de 2019. O projeto, que visa identificar, quantificar e esterilizar cães e gatos de acumuladores de animais, começou em junho e foi retomado no último dia 19.
A protetora de animais Márcia Aparecida Rosa, de 43 anos, afirma que até o momento já conseguiu castrar mais de 30 animais entre cães e gatos (10 animais vivem na sua residência e conseguiu castrar mais de 20 na rua que alimenta de dia e à noite).”Pra mim tem sido uma vitória, são muitos donos que não conseguem separar seus animais do cio, muitas pessoas infelizmente, não tem consciência da importância da castração para o controle da população. Acredito que tão logo veremos uma grande transformação aqui no bairro”, comenta.
De acordo com Bárbara Luiza Junqueira de Carvalho, bióloga da Diretoria do Bem Estar Animal desde quando o projeto começou em junho já foram castrados 26 cachorros, 54 cadelas, 55 gatos e 71 gatas. O munícipe pode ficar despreocupado com a demora na solicitação. “Não há fila de espera, pois assim que a demanda chega encaminhamos para o Centro de Controle de Zoonoses que agenda as castrações com prioridade”, explica a bióloga.
Quanto à castração já existe uma prioridade no Município, através do Decreto Municipal nº 18.022, de 2018, o qual pontua o agendamento de castração de acordo com critérios definidos no mesmo. Com relação a superpopulação de gatos no Parque da Represa, a bióloga Bárbara disse que existe uma colônia de gatos no local, acompanhados por protetoras independentes que realizam castração no Centro de Controle de Zoonoses com prioridade.
Conteúdo especial: Harley PACOLA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS