Projeto desenvolve jogos e passatempos para crianças com câncer

Um projeto lançado nesta terça-feira  (12) em Brasília quer resgatar momentos de alegria na rotina de crianças submetidas ao tratamento de câncer. O objetivo é dar ênfase à importância da valorização da vida por meio de jogos e do estímulo à brincadeira.

O projeto, lançado pela Associação Brasileira de Assistência às Famílias de Crianças Portadoras de Câncer e Hemopatias (Abrace) em parceria com o Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), consiste na oferta de 12 jogos – tanto eletrônicos quanto de tabuleiros – a serem usados pelas famílias e pelos pacientes com câncer.

Além de facilitar a compreensão em torno da doença, os jogos também querem contribuir para humanizar o tratamento.

A presidente e fundadora da Abrace, Maria Angela Marini, destaca que passatempos e brincadeiras suavizam o peso do diagnóstico para muitas crianças. Ela cita como exemplo o caso da própria filha Joana que, aos 5 anos, em 1986, teve a confirmação de uma leucemia.

“Ela sempre diz que tem que ter uma fuga para alguma coisa, para poder vencer esse momento difícil. Para ela, era o Sítio do Picapau Amarelo. Ela ia para o hospital, para fazer quimioterapia, e imaginava aqueles que cuidavam dela como personagens do Sítio”, lembra.

Por Agência Brasil

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS