Projeto de Rillo barra nomeação de candidatos derrotados em eleição

Vereador Marco Rillo protocolou projeto que proíbe nomeação de candidato que perdeu eleição

O vereador Marco Rillo (PT) protocolou, na tarde desta segunda-feira (20), o projeto de lei que proíbe nomear para cargos públicos candidatos que disputaram as eleições e não foram eleitos no município.

Segundo Rillo, a vedação da nomeação deverá ocorrer durante os quatro anos subsequentes ao ano das eleições disputadas.

Dhoje Interior

“Existia antes a coligação, então os partidos se aglomeravam e formavam uma chapa forte, eles direcionavam os vereadores de apoio ao prefeito e iam ajeitando. Hoje, cada partido tem que viabilizar 26 candidatos. É difícil, com 26 candidatos muitos partidos pequenos não vão ter. Então os partidos mais fortes, não generalizando, formam a chapa e põem os vereadores que eles querem eleger como cabeça puxadora de voto e para preencher pegam alguns candidatos (colonos) falam em caso de não vencer em dar um cargo de livre nomeação na prefeitura. São 240 cargos, mais os da administração indireta que dá um total de 311, então vira negócio”, disparou.

O vereador declarou ainda que “portanto nós estamos proibindo que os candidatos que perderam a eleição, inclusive aquele que perdeu a reeleição, ocupem cargo de livre nomeação direta ou indireta na prefeitura. Isso significa no Semae, Emurb, Emcop, Câmara e Prefeitura, ou seja, todos os órgãos da administração pública”.

“Tem gente, que já está há 18 anos na administração pública sem ter prestado concurso. Hoje, a população pede decência, pede a não corrupção e isso que acontece hoje é uma forma de aglutinar pessoas para elegerem os mesmo que estão aí. Eu quero que seja votado antes das convenções, porque a pessoa que vai ser candidata e sabe que não vai ganhar não fica perdendo o tempo dela”, finalizou Rillo.

Por Mariane Dias