Projeto de limpeza subaquática completa 4 anos com mais de 30 toneladas de lixo retirados do Tietê

Voluntários retiram anualmente toneladas de lixo das águas do Tietê na região. Divulgação

As águas do rio Tietê que percorrem o interior do estado de São Paulo são pontos turísticos frequentados por milhares de pessoas. Só que as profundezas escondem um mau hábito do brasileiro: jogar lixo em qualquer lugar.
Foi esse cenário que fez um grupo de mergulhadores de pesca subaquática a criar o Projeto Rio Limpo.
Durante a Piracema, período de reprodução dos peixes, eles se unem e percorrem prainhas da região para limpar o fundo dos rios. Em quatro anos, já foram recolhidos 30 toneladas de lixo.
De acordo com o empresário e um dos idealizadores do projeto, Flávio Garcia Leal, durante os mergulhos de pesca subaquática, o grupo de amigos encontrava latinhas, sacolas, garrafas pet, entre outros lixos no fundo dos rios.
“Nós sempre recolhíamos esses objetos durante a pesca e, de repente, tivemos a ideia de criar o projeto para retirar a sujeira dos rios na Piracema, que é o período que não podemos pescar. Nós praticamos a pesca subaquática como hobby, não de maneira profissional”, relembra Flávio.
O projeto já passou por prainhas de Ubarana, Buritama, Mendonça, Sales, Novo Horizonte e Adolfo. Em todas as cidades, os lixos foram recolhidos no rio Tietê. No próximo mês, os mergulhadores vão realizar uma limpeza subaquática no rio Grande pela primeira vez, em Mira Estrela.
Flávio conta que os mergulhadores já encontraram todo o tipo de lixo. Muita gente nem acredita o que é retirado do mar.
“Já encontramos motor de motocicleta, eletrodomésticos como fogão, pneu, entre outros objetos. Nós acreditamos que os donos dos ranchos que estão em torno dessas prainhas acabam renovando os móveis e descartando o velho dentro da água. O projeto quer conscientizar os moradores e a preservar o meio ambiente”, afirma.
O trabalho do Projeto Rio Limpo funciona em parceria com as prefeituras. Os mergulhadores fazem uma varredura nos fundos do rio e as equipes nos barcos auxiliam na retirada de todo o lixo.
Quando estão lotadas, as embarcações voltam para a margem da prainha e depositam os lixos em uma área reservada para o projeto. A prefeitura fica responsável por disponibilizar caminhões para fazer a retirada dos materiais e dar um destino adequado.

PRÓXIMA LIMPEZA

Dhoje Interior

Amanhã, dia 12, um grupo de aproximadamente 70 voluntários limpará a prainha de Ubarana. Os trabalhos começam a partir das 9 horas e qualquer pessoa pode participar.
Para o prefeito João Costa Mendonça, o projeto acontece em um momento de conservação dos recursos naturais.
“Essas ações servem de exemplo para turistas e moradores para que joguem o lixo nos locais adequados e se preocupem mais com os nossos rios”, finaliza Mendonça.

Por – Vinicius LOPES –[email protected]