Procon-SP registra aumento de 55% em reclamações de vendas on-line

O Procon-SP registrou 121.173 reclamações relacionadas a compras pela Internet neste primeiro semestre, o que representa um crescimento de 55% em comparação com todo o ano de 2019, que registrou 78.419 demandas. As questões mais reclamadas são demora e não entrega do produto com 31.614 registros, seguidos por problemas com cobrança, 10.559 reclamações. No primeiro semestre de 2019 foram 33.628 atendimentos e, no segundo, 44.791, somando 78.419 registros. Os principais problemas se repetiram: demora, não entrega do produto (19.124) e problemas com cobrança (5.605).

Em São José do Rio Preto, o Procon registrou 13 denúncias referentes a compra pela Internet nos meses de maio e junho. Em quatro delas, a reclamação foi a demora ou não entrega do produto, enquanto que os outros nove atendimentos eram relacionados a problemas na garantia, cancelamento das compras, entre outros.

Dhoje Interior

Na quarta-feira (9), os Correios justificaram os atrasos nas entregas por meio de uma nota, onde casos de Covid-19 acarretaram no fechamento de agências. Em Rio Preto, o Centro de Entrega e Encomendas (CEE) no bairro Distrito Industrial foi lacrado pela Justiça do Trabalho. “A União Postal Universal (UPU) relata que 124 países enfrentam problemas com entregas, suspensão na prestação de serviços, interrupção na aceitação de alguns serviços, redução na capacidade da força de trabalho, em decorrência da pandemia. Pensando em proteger nossos empregados e suprir o aumento da demanda, foi contratada mão de obra e autorizada a realização de horas extras. Além disso, foram locadas linhas adicionais de transporte de carga e adotado tratamento especial para encomendas oriundas de transações eletrônicas”, diz a nota envidada pelos Correios.

Para o consumidor que tiver problemas com compras pela internet ou outra questão de consumo, o Procon disponibiliza canais de atendimentos à distância: no site (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior