Procon orienta para compras do Dia das Crianças

Se a preferência for por roupas e calçados, os pais devem ficar atentos; a troca por motivos de cor, tamanho ou gosto não é obrigatória

O Dia das Crianças se aproxima e os pais já se preparam para sair às compras dos presentes para os pequeninos. Pensando em auxiliar na hora da compra e garantir a segurança da criançada, o Procon Rio Preto preparou algumas dicas e orientações.

Dhoje Interior

Segundo o economista do Procon, Eraldo Angelotti, o primeiro passo é definir com antecedência qual presente os pais pretendem comprar e o valor que podem gastar.  “É interessante, após a definição do produto, fazer algumas pesquisas de preços, pois a variação de um estabelecimento para outro pode ser bem grande”, afirma.

Também é recomendável que o consumidor guarde o panfleto ou tire foto do anúncio feito pelo estabelecimento com as promoções de determinados produtos. A loja é obrigada a cumprir a oferta, desde que não tenha vencido o prazo da promoção que também deve ser exposto junto ao anúncio.

Já falando sobre a segurança dos brinquedos, o consumidor deve verificar se o produto tem o selo do Inmetro. A certificação é obrigatória para todo brinquedo vendido no Brasil, mesmo que seja um produto importado. Além do selo, também é importante verificar sempre a faixa etária indicada, principalmente se o presente for para crianças de pouca idade, pois os produtos podem conter peças pequenas e fáceis de se soltar ou com pontas finas, colocando a segurança da criança em risco.

Se a preferência for por roupas e calçados, os pais devem ficar atentos. Muita gente ainda não sabe, mas a troca por motivos de cor, tamanho ou gosto não é obrigatória. Mesmo que a roupa ou calçado não sirvam na criança a decisão será do estabelecimento. Mas se na hora da compra o vendedor se comprometer a realizar a troca, mesmo sem defeito na mercadoria, o consumidor deve exigir que ele especifique na nota fiscal ou carimbe o prazo máximo para o consumidor escolher outro produto. Já a garantia legal dá ao consumidor o direito, em caso de defeito, de ter o produto consertado ou um novo em 30 dias para bens não duráveis (como alimentos, por exemplo) e 90 dias para os bens duráveis (como aparelhos celulares, geladeira, televisão).

 O diretor do Procon Rio Preto, Arnaldo Vieira, alerta os pais sobre a importância da nota fiscal. “Exija sempre a nota fiscal, pois é o documento que o consumidor tem para comprovar a relação de consumo, e será de extrema necessidade caso haja algum problema com o produto,” comenta.

 

Da REDAÇÃO