Procon orienta os pais para as compras no Dia das Crianças

Faltando dois dias para o Dia das Crianças, os pais que deixaram para comprar os presentes de última hora devem ficar atentos com alguns detalhes no momento de fechar o negócio.

De acordo com o diretor do Procon Rio Preto, Arnaldo Vieira, três tipos de irregularidades são muito encontradas nesta época do ano e os consumidores têm que prestar atenção para evitarem dor de cabeça no futuro.

“Anúncio com produto, preço com outro produto na gondola da loja. A pessoa pega um folhetim em semáforo, por exemplo, e tem uma boneca em promoção de R$ 29,90 e chega na loja está R$ 39,90, R$ 10 de diferença. A pessoa vê a diferença, acha pouco e compra, mas está errado. A loja precisa deixar transparente para o consumidor o valor, e o valor praticado. Algumas lojas afirmam que colocam esse valor de R$ 29,90 as dez primeiras unidades, mas o consumidor não é obrigado a saber disso”, explica o diretor, que cita os brinquedos como outro exemplo.

“O pai precisa tomar cuidado com o brinquedo e todos eles precisam ter essa certificação (Inmetro), que garante a qualidade do produto. O consumidor precisa se atentar para isso. Cuidado na hora das compras de brinquedos de países como Paraguai, Coreia, Taiwan, que não passaram por esse teste de qualidade, e podem ser tóxicos, soltar peças, cortar, entre outros riscos para a criança”, afirma Arnaldo Vieira.

Outra situação que o consumidor precisa se atentar é para a troca de peça roupa, como diz o diretor do Procon. “Legalmente a loja não é obrigada a trocar, ela precisa deixar clara e transparente que tem o serviço de troca. Orientamos que, se há a necessidade de trocar, converse com o lojista. Se ele garantir, não tem problema. O consumidor compra, leva o cupom, mas o correto é a nota fiscal. Agora, se a loja não troca, tem que deixar claro para o consumidor que eles não realizam troca”, orienta.

Arnaldo Vieira conclui dizendo o que o consumidor deve fazer caso aconteça algum problema no momento da compra. “Vir diretamente ao Procon, ou, procurar o Facebook – Procon Rio Preto – mandar a mensagem, que temos pessoas para responder. Os casos são analisados e já é marcado o dia para pessoa vir fazer sua CIP (Carta de Informação Prévia). Se ela quiser sair da loja e vir pra cá, também não tem problema. Ela passará por uma triagem e fará a CIP, que, uma vez aberta, dá possibilidade da loja também se defender, ou às vezes dela responder”, finalizou.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS