Procon flagra arroz a R$ 30 e autua 5 em Rio Preto por abuso de preço

Preço do arroz chegou a R$ 29,99 em Rio Preto. Foto: Claudio Lahos

Agentes do Procon-SP estão percorrendo o Estado em operações surpresas e até o último dia 21, segunda-feira, já tinham notificado cinco estabelecimentos de Rio Preto por abuso nos preços dos alimentos. Em um supermercado o orgão de defesa do consumidor encontrou saco de arroz a R$ 29,90.

A operação iniciou dia 14 de setembro em todo o Estado principalmente com foco no preço do arroz (pacote 5kg) e óleo de soja (embalagem de 900 ml). O maior valor encontrado no município para o arroz foi de R$ 29,99, acima do preço mais alto encontrado na capital que foi de R$ 27,90. O maior valor encontrado no Estado foi de R$ 34,90. Já com relação ao óleo, o maior preço encontrado em Rio Preto foi de R$ 6,99 e em São Paulo foi de R$ 7,73.

Dhoje Interior

As autuações foram confirmadas pelo assessoria do Procon em São Paulo ontem. Em todo estado já foram 283 estabelecimentos notificados em mais de 30 cidades. Agora todos devem os estabelecimentos apresentar notas fiscais de compra e venda de itens da cesta básica na operação para quebrar  a autuação e não tomar multa definitiva.

“Os estabelecimentos foram notificados a apresentar notas fiscais de compra e venda de itens da cesta básica para constatação de eventual aumento injustificado de preços. Serão comparadas as notas de compra de cada item com o preço da prateleira para verificar se há margem de lucro muito ampliada, que é uma prática abusiva”, diz a nota enviada pelo Procon-SP.

De acordo com o Procon de Rio Preto, houve oito consultas simples sobre o aumento de preços em alimentos, principalmente sobre o arroz. “Nós fizemos nossa parte logo no começo, entre a última semana de agosto e primeira semana de setembro. Nós tivemos muita procura das pessoas através do nosso Whatsapp, mas que não se concretizaram em abertura de reclamação. Esse foi o grande problema, justamente pela dificuldade dos consumidores de se locomover até o Procon durante a pandemia. De toda forma, nós reunimos essa informação e enviamos para São Paulo pedindo providências”, afirmou o diretor do Procon, Arnaldo Vieira.

As equipes de fiscalização do Procon-SP constataram preços abusivos em carnes vermelhas (patinho, coxão mole, coxão duro e contrafilé) em todo o Estado, variando de R$ 47,69 a R$ 64,99. Para esses itens em específico, não foram divulgados os valores encontrados em Rio Preto.

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimento à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Por Vinicius LIMA – redação Jornal DHoje Interior