Procon alerta consumidores para ‘armadilhas’ da Black Friday

Foto Cláudio Lahos

A tradicional liquidação “Black Friday” será no dia 23 de novembro. A sexta-feira de descontos generosos atrai a atenção dos consumidores para a aquisição de produtos com preços atrativos, que chegam de 50 a 70% a menos do valor. É também nesta data que fornecedores e pessoas mal intencionadas aproveitam para cometer diversas práticas ilícitas e crimes contra o consumidor por trás de sites, links de vendas pelas redes sociais, ligações telefônicas e até mesmo estabelecimentos.

O Procon de Rio Preto alerta o consumidor para não comprar por impulso e só gastar com o que realmente precisa, para que não fuja do foco e não comprometa seu orçamento com compras extras. Depois do planejamento, ele pode acompanhar pelo site oficial da loja, antes da promoção, os preços dos produtos desejados e identificar se realmente houve um bom desconto no valor da mercadoria e se vale a pena efetuar a compra.

Dhoje Interior

Segundo Arnaldo Vieira, diretor do Procon do município, o consumidor tem que ficar atento e desconfiar de preços muito baixos nas lojas físicas, e principalmente, na internet. “Devido ao grande acesso de informações nas redes sociais e WhatsApp, o consumidor tem que ficar em alerta e tomar cuidado para não ser enganado”, afirma.

Verificar a procedência dos sites não recomendados no Procon ou procurar indicações também ajuda e muito a não cair em golpes. Além disso, a Fundação Procon-SP, disponibiliza em seu site uma lista com cerca de 400 sites de empresas que mais receberam reclamações nos últimos meses. Alguns deles, estão fora do ar. Dados como Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), endereço físico e eletrônico, canais de troca e atendimento devem estar visíveis no site.

“Tivemos muitas reclamações no ano passado sobre compras pela internet, entre elas, maquiagem no preço, problemas de entrega e descumprimento de ofertas. Se for fazer compras na loja virtual, por exemplo, acessar sites oficiais dos estabelecimentos, desconfiar de recebimento de e-mails com promoções e sempre pesquisar os produtos antes fechar o negócio”, ressalta Vieira.

 

Por Vinicius MAIA