Primeira etapa do Anel Viário de Rio Preto deve ser entregue em sete meses

O prefeito Edinho assinou ordem de serviço para início das obras (Foto: Jaqueline BARROS)

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), assinou ontem a ordem de serviço para execução das obras previstas no primeiro lote do anel viário do município. O anel faz parte do plano viário local e prevê a ligação da rodovia BR-153 com a Washington Luís (SP-310), já no município de Mirassol.

O objetivo, segundo o secretário de Planejamento de Rio Preto, Israel Cestari, é concluir uma obra antiga e de grande importância para a população. “Sempre desejamos esse anel viário concluído. Com a obra pronta, o motorista vai poder, de qualquer ponto da cidade, acessar outras regiões sem ter que passar pela região central. Então se a pessoa está no São Francisco e quiser ir para a região Norte, isso será possível através destas vias trazendo economia de tempo e dinheiro. Além da região urbana, temos certeza de que teremos um alívio nas rodovias que cortam Rio Preto, a BR-153 e a SP-310”, destacou ele.

Nesta primeira fase, o valor investido será de R$ 10.155.670,35, incluindo terraplanagem, pavimentação e sinalizações verticais (placas) e horizontais (faixas) em oito trechos distribuídos entre as regiões da avenida Belvedere e na região Sul (Tarraf, São Francisco e Vivendas). A segunda fase já foi licitada, por R$ 22,3 milhões, e o resultado deve ser homologado ainda na primeira quinzena deste mês.

O prefeito Edinho Araújo aproveitou para dizer que as grandes avenidas de Rio Preto, que hoje estão interrompidas, serão interligadas com a obra. “É a primeira etapa de uma obra de infraestrutura que vai desafogar o trânsito de Rio Preto, com melhorias inclusive no transporte coletivo”, declarou.

As obras serão realizadas no prolongamento da avenida Belvedere perto da BR-153, com a construção de uma avenida entre a BR-153 até a avenida Danilo Galeazzi, prolongamento e alargamento da avenida Marco Costantini, interligando a Vila Madalena ao conjunto habitacional Rio Preto. Ainda estão previstas intervenções entre a avenida José Prudêncio Drigo da Silva e loteamento Parque Tecnológico até a rotatória da Unip, e a implantação de travessia sobre o córrego Borá.

Hoje já existem 22 quilômetros de anel viário. A nova obra, dividida em quatro etapas terá mais 13 quilômetros. Ao final, serão 35 quilômetros ligando a cidade de um ponto ao outro. Cestari disse que mesmo sendo menor, ela é bem mais complexa e cara do que o trecho que já foi construído. “As obras são mais complexas, uma verdadeira obra de arte. Não são apenas avenidas mais largas, são viadutos sobre as rodovias”, disse o secretário.

Segundo Cestari, será disparada em breve a licitação para o segundo lote que vai dar a continuidade dos trabalhos interligando a região dos condomínios à região norte. “É o lote mais caro que nós temos. Nosso preço de abertura são R$ 23 milhões”, explicou.
Ainda de acordo com o secretário, nesta segunda etapa “é onde vai interligar com a avenida do linhão que passa no shopping Cidade Norte, cruza toda região norte. Hoje não liga isso ai”, esclareceu.

O anel viário de Rio Preto tem custo estimado em R$ 70 milhões e a previsão de entrega é o final de 2020. A obra está incluída no financiamento de R$ 203 milhões que a Prefeitura conseguiu do governo federal. O dinheiro está sendo aplicado em intervenções viárias, como recape de 188 quilômetros já anunciado por Edinho e de infraestrutura pela cidade.

Por Jaqueline BARROS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS