Presidente do PSL se reúne com Marta e anuncia Escola Cívico-Militar

A notícia da instalação da escola cívico-militar foi anunciada pelo presidente do PSL local em reunião na prefeitura

A prefeita Marta do Espírito Santo Lopes recebeu a confirmação de que Catanduva será beneficiada pela implantação de uma escola cívico-militar, a primeira do Estado. A notícia foi trazida por João César de Moraes, presidente do PSL local, nesta terça-feira, 23. A conquista é fruto de intervenção do deputado federal Coronel Tadeu.

Também participaram do encontro, no gabinete da prefeita, dois catanduvenses entusiasmados com a novidade, Nelson Bassanetti e Antônio Carlos Rogério.

O assunto havia sido abordado em reunião realizada por Coronel Tadeu com a prefeita Marta e João César, na semana passada, na capital paulista. O presidente do diretório municipal do partido lidera as tratativas desde o anúncio do Governo Federal de que as escolas cívico-militares serão ampliadas no país.

“Recebi com muita satisfação a notícia de que Catanduva foi escolhida para receber uma unidade desse projeto. Será um passo muito importante para a cidade e um diferencial na educação das nossas crianças e jovens”, comenta a prefeita.

O próximo passo será definido após visita do deputado federal ao município, com o intuito de conhecer escolas situadas em áreas de vulnerabilidade social que possam sediar o trabalho, cuja marca é a gestão compartilhada entre sociedade civil e militares.

O Ministério da Educação (MEC) tem o plano de implantar 108 novas escolas cívico-militares no país até 2023. O projeto, que faz parte do Compromisso Nacional pela Educação Básica, visa a um avanço na qualidade educacional com base no sucesso já observado nas escolas militares em funcionamento no Brasil – as instituições têm Índice de Desenvolvimento de Educação Básica superior ao das civis, 6,99 ante 4,94.

As escolas cívico-militares são instituições em que se busca excelência no ensino com a presença de militares da reserva das Forças Armadas. Eles atuarão como monitores para auxiliar na gestão educacional. A organização didático-pedagógica, assim como financeira, fica por conta dos civis. O Brasil conta hoje com 203 escolas cívico-militares.

Da REDAÇÃO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS