Prefeitura prepara arrastão para apreensão de cavalos e vacas soltos

A quantidade de animais de grande porte soltos nas ruas da cidade acendeu sinal de alerta sobre o risco de acidentes na Secretaria de Trânsito de Rio Preto, nesse sentido, técnicos da pasta se desdobram para homologar nesta terça-feira o processo licitatório para prestação de serviços de remoção e guarda de animais de médio e grande portes soltos em vias públicas, áreas verdes, área de preservação permanente e abandonados em estado aparente de maus-tratos.

Nesta segunda a diretora de bem-estar animal, Karol Prado, e o chefe da fiscalização da Secretaria de Trânsito, Marcelo Amaral, realizaram vistoria na área que receberá os animais apreendidos. Estão sujeitos a apreensão, animais de médio e grande portes, tais como bovinos, bubalinos, equinos, muares, asininos, suínos, ovinos e caprinos.

A licitação foi vencida pela empresa Gabriela Zangossi Souza, da cidade de Mairinque, que apresentou proposta de R$ 23 mil mensais para realização do serviço pelo período de 60 meses. A empresa é responsável pela prestação desse tipo de serviço em cidades como Campinas, Ribeirão Preto e Sorocaba.

De acordo com o chefe da fiscalização, uma ação em parceria com a Diretoria de Bem-Estar Animal (DIBEA), Guarda Civil Municipal (GCM) e Secretaria de Trânsito está sendo preparada para ocorrer nas próximas semanas.

“Já acertamos os detalhes e teremos dois caminhões recolhendo animais soltos em ruas e avenidas da cidade em operação conjunta com a GCM e DIBEA para minimizar o risco de acidentes e combate aos maus-tratos”, afirmou Marcelo Amaral.

De acordo com a Lei 17/92, o animal apreendido deverá ser retirado dentro do prazo máximo de sete dias, a contar do dia da apreensão, mediante pagamento da multa, despesas veterinárias, taxa de diárias, manutenção ou estadia respectiva.

Para o resgate do animal será cobrada multa no caso de equinos, asininos, muares, bovídeos e bubalinos, no valor de dez Unidades Fiscais do Município (UFM), totalizando o valor de R$ 577,55.

A iniciativa visa ainda combater a atuação de carroceiros clandestinos no município, após a sanção da Lei que regulamenta a atuação dos veículos de tração animal. Atualmente, 38 carroceiros estão aptos a atuarem na cidade.

Por Thiago PASSOS

SEM COMENTÁRIOS