Prefeitura gasta até R$ 1 milhão/mês com Faxina Urbana

Limpeza no Ponto de Apoio do Jardim Atlântico.16/08/17. Foto: Ivan Feitosa/SMCS.

Entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão são gastos todos os meses pela Prefeitura de Rio Preto com a Faxina Urbana. A oscilação no valor depende do clima seco ou chuvoso na cidade. Dinheiro jogado no lixo e que poderia ser empregado em áreas prioritárias como Saúde, Educação, Trânsito e Segurança Pública.

“Todo esse dinheiro poderia ser usado para fazer outras melhorias como praças, academias para a terceira idade, calçadas, entre outras coisas boas para a nossa cidade”, afirma o secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho.

A empresa vencedora da licitação para fazer o serviço de Faxina Urbana é a Constroeste. O prazo do contrato, assinado em 15 de maio de 2018, é por 60 meses, renovável anualmente.  O valor anual do contrato atual é de R$11.139.600,00.

De acordo com o secretário, anteriormente a maio do ano passado o serviço de faxina urbana foi suprimido.

“Na administração anterior esse serviço de limpeza urbana era de responsabilidade e fiscalizado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e havia sido suspenso após denúncias de irregularidade na pesagem e transporte para o aterro sanitário. Na gestão do prefeito Edinho Araújo a limpeza urbana passou a ser fiscalizada e acompanhada a rotina pela pasta de Serviços Gerais”, explica Ramalho.

MATA DA MACUMBA

Nos dias 3 e 4 deste mês, a Pasta fez um arrastão de limpeza na ‘Mata da Macumba’, no bairro Nova Esperança. Foram utilizados um trator com roçadeira, seis caminhões basculantes e uma máquina pá-carregadeira.

Segundo Ramalho, a área foi transformada em um grande lixão a céu aberto. “Só no primeiro dia de arrastão foram removidos para o aterro sanitário cerca de 330.520 quilos de lixo. E acredite, ao amanhecer da sexta-feira, já havia mais lixo e restos de construção no mesmo local”, acrescenta.

O coordenador da Faxina Urbana, Donizete Saldanha, ressalta que “a prefeitura limpa tudo e remove todo o lixo, mas de nada adianta. São quinze pontos de apoio em diversas regiões da cidade para receber lixo, entulhos de construção, móveis velhos entre outros materiais inservíveis, mas infelizmente muitos moradores não respeitam as placas e insistem em jogar esse lixo em local impróprio”.

O secretário frisa que quem for flagrado descartando lixo irregularmente será multado. O valor varia de R$ 565 a R$ 5 mil (Lei dos Sujões).

“As denúncias podem ser feitas pelo telefone da Guarda Civil Municipal, o 153, ou ainda na Secretaria de Serviços Gerais, no 3212-6310. Todos os locais próprios para o descarte de entulhos e resíduos verdes serão limpos com frequência até terminamos o cercamento e melhorias dos pontos de apoio e assim evitar ações de vândalos especialmente nos finais de semana”, finaliza Ulisses Ramalho.

 

Por Daniele Jammal

 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS