Prefeitura anuncia construção do Hospital Municipal na Região Norte

Segundo o secretário de Saúde, o hospital poderá realizar até 400 cirurgias por mês

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), na tarde desta segunda-feira (29), confirmou que o Hospital Municipal será mesmo construído na avenida Alberto Olivieri (Linhão), esquina com a Avenida Nametallah Youssef Tarraf, no Parque Residencial Atlântica, na Região Norte.

Na ocasião, estavam presentes vereadores, secretários, assessores e outras autoridades que presenciaram o discurso animado de Edinho.

“É como eu gosto de repetir, é um momento histórico, algo que marca a nossa cidade. Damos início a um projeto que vai atender e beneficiar milhares de pessoas”, enfatizou o prefeito.

A área, avaliada em mais de R$ 2 milhões, tem uma área total de 19.831,49 m², mas a área destinada para a construção será de pouco mais de 4.600 metros quadrados. O valor aproximado da obra gira em torno de R$ 23 milhões. O hospital, segundo a apresentação feita pelo secretário de Saúde, Aldenis Borim, deve ter 80 leitos, sendo que 62 serão rotativos, destinados às cirurgias eletivas de pequena e média complexidade. Os outros 12 serão utilizados no pós-anestésico, além de seis leitos de retaguarda. O hospital contará ainda com sala de esterilização e cinco salas cirúrgicas.

“É um grande investimento. A cidade precisa suprir as demandas da população na média e baixa complexidade e a construção do hospital vai nos permitir realizar esses procedimentos menores”, disse o secretário.

Falando da verba encaminhada à cidade para esses procedimentos, lembrando que, atualmente, a Santa Casa é quem realiza esses procedimentos Borim disse que não haverá o corte de verbas para a entidade.

“A Santa Casa é média complexidade e não consegue atender a demanda e por receberem muitas urgências ficam sufocados. A construção do Hospital não acarreta em corte de valores para eles, porque a Santa Casa recebe por procedimento e, na prática, eles acabam não conseguindo suprir”, salientou o secretário.

Ainda de acordo com Borim, o novo complexo deve ter capacidade para atender, por exemplo, uma média de 400 cirurgias por mês, o que segundo ele deve extinguir a fila de espera. “Dependendo do tamanho da cirurgia a gente consegue atender essa média que vai ser mais do que suficiente para zeramos isso”, frisou o responsável pela Saúde.

Israel Cestari Júnior, responsável pelo Planejamento Estratégico, fez questão de frisar alguns itens do projeto. “O prefeito Edinho sempre insistiu que nós fizemos algo que fosse bom também em longo prazo. Foi assim com o saneamento básico e está sendo assim também com a construção do Hospital da Região Norte, por isso o projeto da planta prevê que o prédio tenha uma ampliação, e que mais andares sejam erguidos, além de uma área externa para mais leitos caso necessário”, frisou.

Ainda de acordo com Cestari, a área foi escolhida por estar localizada em um ponto estratégico.”Em qualquer ponto que a ambulância estiver, não vai precisar cruzar a cidade, é só contornar pelo Linhão”, explicou.

“A prefeitura interpreta o sentimento da sociedade, uma necessidade, por isso elaboramos esta estratégia, pensando, inclusive em uma possível ampliação para o futuro. Nós teremos um hospital de apoio que será de grande importância para a atenção e melhoria na saúde do município”, finalizou o prefeito.

A expectativa é de que o processo licitatório para contratação dos interessados na construção do hospital seja concluído até o fim de 2020.

Por Ygor Andrade

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS