Prefeito Edinho Araújo decreta estado de emergência em Rio Preto

Prefeito Edinho Araújo durante a coletiva para a imprensa na tarde desta segunda-feira, falando sobre o estado de emergência

Após reunião com secretários, representantes dos hospitais e Polícia Militar, o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), decretou, na tarde desta segunda-feira (28), estado de emergência na cidade.

“Decretamos estado de emergência, tendo em vista algumas providências que já tivemos que tomar. Sangue que precisa ser levado para Campinas, porque é lá que são feitos os testes. E a preocupação maior é com a falta do gás, que isto vai atingir diretamente os nossos hospitais e estamos tomando todas as providências no sentido de manter a normalidade dos serviços públicos, na saúde, na educação, na coleta do lixo, no transporte coletivo. Portanto, reunimos todos os atores, os protagonistas, desses serviços que são prestados e concluímos por esse decreto de estado de emergência”, disse o prefeito, justificando a ação tomada.

“Isso facilita tomar algumas providências, justificando perante os órgãos fiscalizadores, de que você estava em uma situação de emergência, de exceção. A ações que precisam ser tomadas para que esteja dentro de uma normalidade”, afirmou.

Sobre a continuação da greve, Edinho afirmou que amanhã (terça-feira) será feita uma nova avaliação e uma nova reunião será feita. O prefeito ainda fez um balanço da situação da cidade.

“O transporte coletivo nos horários de pico está praticamente atendido. De 90 a 95%, a depois uma escala, sem prejudicar, acompanhando a demanda. Portanto, o transporte coletivo, tudo bem. A coleta de lixo também. Nós vamos manter a escala, os serviços que são prestados. Nós temos uma parceria, que são os serviços SUS, que são prestados pela Santa Casa e pelo Hospital de Base, que está sob controle, com exceção de alguns serviços que são prestados fora do município, mas que também estamos superando juntos as dificuldades. Estamos contando com a participação da Polícia Militar, através do Coronel Rogério Xavier, que tem feito escoltas de alguns caminhões que precisam transportar, exemplo os produtos químicos que são utilizados para o abastecimento da cidade. Amanhã, esse produto químico será trazido de Santa Bárbara do Oeste e, pra isso, será feito uma escolta da Polícia Militar”, disse Edinho Araújo.

Em relação à educação, o prefeito disse que o estado é normal. “Até segunda ordem estamos mantendo a normalidade das aulas, transportando por volta de quatro a cinco mil crianças. Nesse momento, também, estamos trazendo de uma cooperativa de Jales, que vem todas as frutas e os legumes, que estão sendo transportados até Rio Preto, por escolta, porque o motorista, normalmente, se sente inseguro e estamos com essa colaboração da Polícia Militar para que não falte a merenda para as crianças. Então, todas as crianças na aula amanhã e não há nenhuma interrupção de serviço essencial”, esclareceu.

Já sobre as obras paradas na cidade, Edinho justificou a falta de insumos, como o cimento, para justificar a paralisação e os atrasos desses serviços. “Todos os serviços estão sendo prestados dentro da normalidade. Só estamos nesse estado de alerta e de emergência para que nós possamos continuar prestando todos os serviços a população”, disse.

Durante a coletiva, o prefeito disse que aguarda um quadro nacional da greve dos caminhoneiros para saber até quando a cidade ficará em estado de emergência. “As informações que temos é que haviam 1.500 pontos de bloqueio e que diminuiu isso por volta de 700. Então, esperamos que seja feito um acordo entre os caminhoneiros e motoristas com os entes públicos”, concluiu.

Marcelo Schaffauser

SEM COMENTÁRIOS