PONTO DE ENCONTRO DE GERAÇÕES: Aos 75, Mercadão começa a ser revitalizado ao custo de R$ 4,3 mi

Foto: Cláudio Lahos

Uma das sete maravilhas de Rio Preto, considerado por muitos o ponto de encontro mais famoso da cidade, o Mercado Municipal passará por reforma em toda sua estrutura, após a assinatura da ordem de serviço feita, na tarde desta quarta-feira (5), pelo prefeito Edinho Araújo.

Inaugurado em 19 de julho de 1944, pelo então prefeito Ernani Pires Domingues, o local é um dos pontos comerciais mais antigos do município. O Mercadão conta hoje com 31 permissionários e recebe um público mensal de 20 mil pessoas. A reforma está avaliada em R$ 4.360.930,15. A empresa terá 300 dias contados a partir da assinatura da ordem para executar o serviço.

Dhoje Interior

“O Mercadão é um dos lugares mais queridos de Rio Preto. Esta iniciativa será um fato da mais alta importância para a memória e história da cidade”, disse o prefeito. As obras iniciam nesta quinta-feira (6) e têm previsão de término para novembro deste ano. Ao longo deste período, o Mercadão continuará funcionando. A reforma consiste na reorganização do layout interno com novos compartimentos, padronização de barracas e boxes, troca total das estruturas elétrica e hidráulica, implantação de acessibilidade e novos banheiros, e troca de telhado.

“No primeiro momento estamos nos preocupando com a infraestrutura, trazer segurança e trazer maior comodidade para os nossos usuários. A Prefeitura não está medindo esforços é um trabalho conjunto aos permissionários. Nós vamos fazer a reforma por etapa. Os permissionários terão que se deslocar de seus boxs e bancas, mas está tudo planejado”, afirma secretário de Agricultura e Abastecimento, Antônio Pedro Pezzuto Júnior. O local terá decks externos e adequação de estacionamento. “A área externa não vai alterar não, nenhuma mudança da estrutura, vamos corroborar para uma melhor disposição para usuários.

Como o Mercadão tem uma planta que não permite nós elaborarmos um nível superior para ampliar a praça de alimentação, então foi desenhado dois decks nas duas entradas”, conta o secretário de Agricultura.

“A revitalização ficará um local mais bonito para todo mundo frequentar, com acessibilidade. Havia a proposta de sermos deslocados para outra área enquanto a reforma estivesse sendo feita, mas os permissionários decidiram continuar no local durante a obra. Estamos cientes dos desafios, dispostos a colaborar e confiantes de que será muito positivo para todos”, declara o presidente da Aspemem (Associação dos Permissionários do Mercado Municipal de São José do Rio Preto), José Alberto Alvino.

 

CRONOGRAMA

Obra terá quatro etapas

O cronograma de execução será dividido em quatro etapas. “Esse cronograma foi exaustivamente pensado e discutido pelas partes envolvidas, justamente pela decisão dos permissionários de permanecerem com suas atividades no prédio em reforma”, explica o secretário de Obras, Sérgio Issas.

A ETAPA 1 – começa pela entrada principal do Mercadão, na rua Antônio de Godoy, onde serão trabalhados banheiros, administração e estruturas de ar condicionado. Nesta fase, que vai até abril, o acesso do público será pelas ruas Jorge Tibiriçá e Silva Jardim. Estacionamento disponível apenas nessa última rua.

A ETAPA 2 – inicia em março e vai até junho, com intervenções internas na Área A, espaço onde ficam metade das instalações rumo à rua Jorge Tibiriçá. Nesta fase, o acesso do público será possível pela rua Silva Jardim e retomado pela rua Antônio de Godoy. Ambos os estacionamentos serão isolados até o fim da obra.

A ETAPA 3 – que vai de junho a setembro, repete as intervenções da etapa anterior, só que na Área B, a segunda metade das instalações rumo à rua Silva Jardim. Nesta fase, o acesso do público será possível pelas ruas Jorge Tibiriçá e Antônio de Godoy.

A ETAPA 4 – trabalhará toda a parte externa do Mercadão, contemplando possíveis intervenções adicionais. O prazo para realização compreende setembro a novembro. Durante este período, o acesso ao público será retomado nas três entradas: nas ruas Antônio de Godoy, Silva Jardim e Jorge Tibiriçá.

 

Por Mariane DIAS