Polícia procura por corpo de homem acusado de estuprar primo de 4 anos

Casa onde morava Edimar de Souza Marques dos Santos, de 43 anos

Equipes da Polícia Civil procuram pelo corpo de Edimar de Souza Marques dos Santos, de 43 anos, que foi assassinado após abusar sexualmente do primo de apenas 4 anos. O crime aconteceu no dia 1º de março e foi comunicado na manhã de quinta-feira (11) à Polícia Civil de Bálsamo.

As equipes policiais receberam a denúncia anônima de que uma mulher que havia cometido um homicídio estava escondida em uma casa na cidade de Bálsamo. Após o relato, os policiais civis encontraram a cuidadora de idosos L. A. C. B., de 22 anos, em um conjunto habitacional do município.

Ao ser questionada a mulher disse que no dia 28 de fevereiro deste ano, por volta de 23h, saiu de sua casa, em Taquaritinga, interior de São Paulo, com algumas amigas para divertir-se e deixou seu filho de 4 anos sob a guarda de outra amiga que reside na casa de seu primo Edimar de Souza Marques dos Santos, vulgo ‘Lango Lango’.

Segundo o boletim de ocorrência, L.A.C. voltou para casa durante a madrugada e não quis acordar a criança. Na manhã do dia 1º de março, o menino chegou na casa onde morava, chorando, bastante assustado, com fezes nas roupas, ocasião em que revelou que o acusado tinha abusado sexualmente dele.

Após declaração do filho, houve uma briga entre a mãe da criança e Edimar. Pouco depois, a mulher foi até a casa de Edimar, que fica a poucos metros, no mesmo quintal, e disse que o que tinha acontecido era passado e que não estava magoada. Edimar pediu desculpas à prima. Após a conversa, ela o convidou para irem até a casa do namorado e no caminho sugeriu passar por um atalho, onde desferiu duas facadas no pescoço do primo. Segundo o boletim de ocorrência, a mulher deixou Edimar esfaqueado no local e fugiu.

Após o ocorrido, Edimar não foi mais visto na cidade. Segundo a polícia, levada para Taquaritinga, para mostrar o local do crime e onde tinha jogado a faca utilizada para matá-lo, L. mudou de versão. Disse que integrantes de uma facção criminosa souberam do ocorrido e prepararam um Tribunal do Crime para julgar Edimar; após julgado e condenado pelo tribunal do crime, ela não viu mais o primo, acreditando que ele tenha sido executado.

A mulher foi ouvida e liberada porque não foi encontrada em situação de flagrante. À polícia, ela contou que quando criança foi abusada sexualmente duas vezes, sendo uma pelo padrasto e outra pelo avô.

Conforme o delegado que investiga o caso, Jairo Garcia Pereira, Edimar tem histórico de ataques sexuais e já teria abusado de outros dois adolescentes de 15 e 17 anos, além de haver relatos de que o homem violava sepulturas e fazia sexo com defuntos recém-enterrados.

A criança de 4 anos passa bem e será encaminhada para exame sexológico. A mãe do menor está na casa de parentes. O corpo de Edimar não foi encontrado.

De acordo com o delegado, “Lorraine confessou o crime, mas é possível que ela esteja mentindo, com medo de algum tipo de represália do crime organizado; agora os investigadores de Taquaritinga irão trabalhar para esclarecer o caso”, disse.

O caso foi registrado em Bálsamo, mas será investigado por Taquaritinga.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS