Polícia investiga morte de advogada que caiu de prédio

Tela de proteção do apartamento estava sendo consertada com ‘enforca-gato’

A Polícia Civil investiga a morte de uma advogada, de 40 anos, que caiu do 14º andar de um prédio onde morava, na madrugada de domingo, dia 8, no bairro Vila Imperial, em Rio Preto. O inquérito foi aberto nesta terça-feira, dia 10.

De acordo com o boletim de ocorrência, Melissa Barbara dos Santos foi encontrada morta por um porteiro do prédio, que escutou o barulho da queda.

No apartamento da vítima, foram encontrados ‘enforca-gatos’, que são abraçadeiras de plásticos, que eram usados no momento do conserto da rede de segurança da sacada do local.

Ainda segundo documento policial, uma garrafa de vinho e uma taça vazia foram encontradas no chão.

Várias hipóteses estão sendo levantadas pela Polícia Civil. Uma delas é de que a queda tenha sido acidental. A advogada pode ter subido no parapeito da sacada e como havia ingerido bebida alcoólica, teria se desequilibrado e caído.

A polícia também trabalha com outras linhas na investigação, de que Melissa possa ter tentado contra a própria vida e também que alguém possa tê-la empurrado. O delegado responsável pelo caso, Júlio Pesquero, aguarda o resultado do laudo pericial no apartamento e também da necrópsia. Amigos e familiares da advogada também serão chamados para prestar depoimento.

O pai da advogada, Amélito Fidelis Santos, divulgou em suas redes sociais nesta terça-feira, dia 10, uma mensagem que a filha enviou para um colega dizendo que iria consertar a tela de proteção do apartamento. A mensagem teria sido enviado à 0h42.

Além da mensagem, o pai da vítima também postou fotos que mostram a tela da sacada do apartamento e vários enforca-gatos que seriam utilizados para consertá-la. Na legenda, ele diz: “Mensagem da minha filhinha querida para um amigo, antes do trágico acidente. Outras virão para corroborar com a elucidação desse episódio tão triste em nossas vidas!”
O corpo de Melissa foi sepultado nesta segunda-feira, dia 9, no Cemitério Jardim da Paz, em Rio Preto.

Por Vinícius Lopes 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS