Pneumonia é uma doença que merece atenção

Foto Divulgação

A pneumonia é uma doença que precisa de uma atenção redobrada, pois ela é uma das principais causas de hospitalização grave no Brasil e no mundo. De acordo com dados publicados pelo Hospital Sírio-Libanês, 1,2 milhões de crianças morrem todos anos em decorrência da enfermidade. Em 2016, a pneumonia foi a maior causa de mortalidade infantil por doenças infecciosas no mundo, quando observadas crianças menores de cinco anos.

De acordo com Fabiano Ferrari, pneumologista, a contração da doença ocorre por
meio da entrada de bactéria no tecido pulmonar. O organismo se aloja e causa uma inflamação.

Dhoje Interior

Dessa forma, a pneumonia nada mais é do que uma inflamação no pulmão. “Ela pode ser dos dois lados (direito e esquerdo). Mas, não só bactérias, os vírus também são responsáveis pela doença.

Além disso, há a pneumonia química, causada pelo refluxo gástrico”, explica o doutor.
A pneumonia, geralmente, se manifesta por meio de febre, embora ela não apareça
em todos os casos. Até disso, são sintomas da doença também a tosse, em alguns
casos, com secreção e uma quadro de adinamia, em que o paciente fica mais quieto e não consegue fazer as atividades diária. De acordo com Ferrari, muitas pessoas reclamam também de desconforto para respirar e de um pouco de dor.

Existem algumas formas de prevenir a pneumonia. Uma delas é evitar, ao máximo,
ficar em ambiente fechado, sem ventilação e com muitas pessoas aglomeradas. A higiene pessoal é muito importante também na prevenção, principalmente das pessoas com a doença ou gripadas. Já para os idosos, é recomendada a vacinação, que está presente no calendário da rede pública, é uma das melhores formas de prevenir a doença.

O pneumologista comenta que a pneumonia é muito frequente na primeira idade,
porque a criança, além de uma respiração mais rápida, ainda não tem o sistema imunológico totalmente desenvolvido.

Então, fica mais propensa à doença. A complicação é comum também em idosos a
partir dos 60 anos, primeiro por conta da exposição do pulmão ao longo dos anos e também do sistema imunológico que fica debilitado por conta da idade. “Mas, a pneumonia na idade adulta também é tão grave quanto ao dos extremos de idade”, enfatiza o Ferrari.

A pneumonia é uma doença que ainda causa muito óbito. Segundo Ferrari, a desnutrição, a idade, doenças do coração, como insuficiência cardíaca, e o tabagismo são agravantes da pneumonia. Outro problema que pode complicar o tratamento da doença é o uso indiscriminado de antibióticos.

“Conforme a pessoa usa os antibióticos, ela vai criando resistências e vai piorando cada
vez mais, chegando ao ponto de ter que internar uma pessoa com pneumonia mais agravadas para fazer medicação venosa, que são bem mais poderosos e, muitas vezes, essa medicação não é o suficiente para acabar com essas bactérias”, alerta Ferrari.

No próximo dia 12 de novembro, é celebrado o Dia Mundial do Combate à Pneumonia.
A data foi instituída em 2009, por meio de uma Coligação Global Contra a Pneumonia
Infantil, formada por 140 organizações não governamentais, a sociedade civil, instituições acadêmicas, agência do governo e fundações. Ferrari fala sobre a importância de se ter uma data para falar da doença.

“Ter um dia que marca esse combate é alertar as pessoas com relação à doença, não só
o público em geral, mas também os profissionais (médicos e enfermeiros). A gente precisa colocar isso em evidência, porque ela é uma doença que tem ótimos resultados tratando desde o começo, com indicação certa. É bom para ter consciência, para a gente tentar diminuir a mortalidade causada pela pneumonia”, comenta.

 

Por Leandro BRITO