Pesquisadores descobrem novo tipo de célula do sistema imune no leite materno

Um estudo revelou que um novo tipo de célula do sistema imune que ajuda a combater infecções no bebê foi encontrado no leite materno. Pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Augusta, na Geórgia (EUA), divulgaram no início deste mês a pesquisa no JAMA Pediatrics.

O conjunto de células é estudado há pouco menos de uma década pelos pesquisadores e foi encontrado no leite materno. Essas células são chamadas de ‘células linfoides inatas’ do tipo 1, que é o tipo de defesa de primeira linha contra agentes infecciosos. Segundo os cientistas, essas células atuam enquanto as defesas do bebê ainda estão em formação. O leite materno contém milhões de células, incluindo vários tipos de células de defesa.

Os pesquisadores acreditam que essas células também ajudem a proteger a mãe de contrair uma infecção do próprio bebê que está sendo amamentado. De acordo com o estudo, para que o bebê supere a infecção que o organismo está combatendo, essas estruturas podem até mesmo mudar.

Segundo a médica a pediatra chefe da UTI neonatal do Hospital da Criança de Rio Preto, Maria Carmen Lunardi Monteiro de Carvalho, o leite é de fundamental importância para a saúde do bebê. “A amamentação é primordial nos primeiros dois anos de vida, porque além das propriedades do leite materno, que é bom no sentido de prevenir infecções, aumenta o vínculo da mãe com o bebê. Já está provado que o bebê que mama no peito cresce mais tranquilo”, disse.

A pediatra afirma que além da alimentação, outro fator importante na amamentação é questão imunológica da criança. “Já está comprovado que as crianças que mamam no peito ficam menos doentes. Quando a mãe está amamentando, ela passa os anticorpos de todas as doenças que teve na vida toda para o bebê pelo leite, então isso também ajuda muito essa criança a não adoecer. O leite materno é como se fosse um antibiótico natural que a criança toma”, finalizou.

Doação de leite materno

As mães que estejam amamentando, tenham excesso de leite e estejam com boa saúde podem doar o leite para o Banco de Leite de Rio Preto. As coletas podem ser feitas na própria residência da doadora e o banco disponibiliza o serviço que coleta o leite doado, uma vez por semana. “É necessário também ter realizado nos últimos seis meses o exame de sorologias que é HIV, sífilis e hepatites. Caso a mãe não tenha realizado nos últimos seis meses, nós repetimos no banco de leite”, afirmou Priscila Theodoro, gerente do banco de leite humano rio-pretense. As mães que tenham interesse em se cadastrar como doadoras de leite materno bastam entrar em contato com o banco de leite pelo telefone (17) 3214-3422.

Por Priscila CARVALHO

SEM COMENTÁRIOS