Pesquisa revela que PM utiliza apenas metade da tropa no patrulhamento

Polícia Militar - Diulgação

Dados obtidos pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo junto ao Departamento de Inteligência da Polícia Civil apontaram que somente a metade das equipes da Polícia Militar de todo o Estado realizam o patrulhamento preventivo.

A análise foi realizada por meio do Registro Digital de Ocorrências (RDO), por meio de seleção dos RGs de condutores ou testemunhas, nos boletins de ocorrências criminais registrados nos distritos policiais de maneira presencial e na Delegacia Eletrônica por meio da internet.

Para a presidente do SINDPESP (Sindicato de Polícia do Estado de São Paulo), Raquel Kobashi Gallinati é preciso maior quantidade de policiais militares em patrulhamento. “Não podemos aceitar que mais da metade dos policiais não esteja exercendo a função de atividade fim de maneira mais reforçada com mais equipes e não como vivemos o atual presente de vê-los em outras funções”, conta.

Somente em 2017, 2.587.988 mil ocorrências criminais e não criminais foram registradas nas delegacias de todo o estado de São Paulo (sem contabilizar as ocorrências registradas pela Delegacia Eletrônica). Dessas ocorrências, 123.054 mil foram autos de prisões em flagrante. Desses, a PM apresentou 80.781 mil, sendo 37.325 mil por policiais distintos, que representam como condutor ou testemunha. A Polícia Civil registrou 23.240 e outros condutores constam em 19.033 flagrantes.

No mesmo ano, das ocorrências criminais e não criminais apresentadas nos distritos policiais, a PM apresentou cerca de 10%, ou seja, 268.537 ocorrências, em que figuraram como condutores 39.242 policiais distintos, podendo cada um deles ter apresentado uma ou mais ocorrências (flagrante ou não) dentro do número total de apresentações pela corporação militar.

Como condutores ou testemunhas, figuraram 47.305 mil policiais militares distintos em todas as ocorrências apresentadas no ano de 2017 pela Polícia Militar em todo o estado de São Paulo. Eles apresentaram ou estiveram presentes em todos os tipos de ocorrências, criminais e não criminais, nas delegacias físicas.

O total de boletins de ocorrência registrados nas duas delegacias físicas e eletrônica, em 2017, ultrapassou 3 milhões de ocorrências de natureza não criminal  e 2.090.522 de natureza criminal.

“Pelos dados avaliamos que pouco mais de 47 mil policiais militares estão nas ruas. Este tipo de policiamento é o serviço de frente, é a primeira etapa, até chegar na Polícia Civil, por isso, precisamos de um efetivo reforçado nas ruas para auxiliar e ter melhor resultado nas investigações”, disse Gallinati.

Por Mariane DIAS

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS