Pesquisa aponta crescimento do comércio varejista da construção civil

Vendas do comércio varejista da construção civil registraram de janeiro a abril expansão de 4%

De acordo com a pesquisa da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), divulgada nesta quinta-feira (3), as vendas do comércio varejista da construção civil no país fecharam os quatro primeiros meses do ano com crescimento acumulado de 4% na relação ao mesmo período de 2017.

Para Roosevelt Bormann Filho, economista rio-pretense, os números mostram que o governo vem tentando reativar a atividade econômica através da construção civil.

“Levando-se em conta que a construção civil é um dos setores da economia que mais movimenta o efeito multiplicador, o que acaba acionando outros setores fazendo com que a economia cresça, além disso, é o setor que mais emprega a mão de obra qualificada. Então, ele vem tentando melhorar a questão do crédito e a gente já vê algum movimento em relação a retomada dessa atividade e isso já começa a surgir efeito em relação a economia como um todo”, explicou o economista.

Contudo, a mesma pesquisa mostra que quando a comparação é feita com o mês de março, o comércio registrou uma queda de 4%.

Por outro lado, ligado diretamente ao setor, o engenheiro civil Leandro Tukamoto não se mostra tão otimista com os números apresentados pela pesquisa. “A economia não está se desenvolvendo na construção civil, e não será retomada ainda neste ano devido a Copa do Mundo e eleições, pois os investidores aguardam a decisão do país para saber se dão sequencia ou não. Os grandes investidores, os quais movimentam o mercado de forma mais representativa, vão aguardar a liderança política do país ser definida”, afirmou.

A análise ouviu 530 lojistas de todo o país entre 24 e 27 de abril. A partir do levantamento, a associação constatou que os lojistas, apesar da queda no índice dessazonalizado, acreditam que irão recuperar parte das vendas em maio.

Cerca de 62% dos entrevistados esperam que as vendas cresçam 10% nos próximos 30 dias. A pesquisa apurou também que 42% das lojas pretendem fazer investimentos nos próximos 12 meses e que cerca de 18% das entrevistadas têm intenção de contratar funcionários ainda este mês.

Por Marcelo Schaffauser

SEM COMENTÁRIOS