Perícia concluí que folião morreu eletrocutado com fio desencapado

ARQUIVO PESSOAL: Estudante de Cardoso morreu eletrocutado ao encostar num poste que ficava as câmeras de segurança com fios expostos na região central de São Paulo no começo do ano.

Peritos da Polícia Científica da capital paulista concluíram em laudo que um fio desencapado de uma das câmeras de vigilância responsável pelo monitoramento do pré carnaval paulistano, na equina da rua da Consolação e Matias Aires, região central de São Paulo, foi uma das causas da morte do estudante de engenharia Lucas Antônio Lacerda da Silva de 22 anos.

Lucas que era natural de Cardoso-SP a 102 km de Rio Preto foi vítima de uma descarga elétrica ao encostar num poste durante a passagem do bloco Acadêmicos do Baixo Augusta no final da tarde de domingo do dia (04) fevereiro deste ano. O novo desdobramento do caso investigado pelo 4º Distrito Policial de São Paulo foi numa rede social pela tia do jovem a empresária Claudia Ramos de Lacerda nesta quinta (19).

O equipamento montado de forma irregular pertence a empresa GWA Systems contratada Dream Factory, que venceu a licitação pela prefeitura de São Paulo “Desleixo, elas [empresas] negam, enquanto isso a gente chora a sua perda meu amor”. Escreveu a tia Claudia em um post divulgado na internet. Por telefone a reportagem do DHOJE não conseguiu localizar o delegado responsável pelo inquérito.

DA REPORTAGEM:

Colaboração: Guilherme Ramos, às 18h27.