Pastor sob suspeita pede exoneração da Câmara

O pastor Idekim Júnior pediu, na última quinta-feira (13), sua exoneração do cargo que ocupa na Câmara Municipal. Ele é acusado de ser funcionário fantasma no Legislativo Municipal pelo vereador Marco Rillo (PT), que também pediu abertura de investigação contra um funcionário terceirizado, Nelson Camacho. A carta de Idekim está nas mãos do departamento pessoal, que aguarda o retorno do presidente da Câmara, Fábio Marcondes (PR) para oficializar o seu afastamento.

Por Lucas Israel

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS