Palmilhas de adequação postural ou órtese podal

As palmilhas são um instrumento da Podoposturologia, que é a ciência responsável por estudar o impacto dos pés no equilíbrio postural. A partir desses estudos, elas são fabricadas com a capacidade de promover estímulos na região plantar, que influenciam no resto do corpo.
Seu principal papel é alterar a inclinação corporal, reduzindo o impacto nas articulações e a tensão entre os músculos nas pisadas. Por essa razão, as palmilhas ortopédicas ideais são aquelas que ficam bem ajustadas nos pés, proporcionando um apoio adequado e corrigindo a postura dos usuários segundo a indicação de um fisioterapeuta ou ortopedista.
As dores nos pés, tornozelos e joelhos, coluna e pescoço podem ser causadas por diversas razões, e atrapalham o dia a dia das pessoas.
Uma das maneiras mais eficazes de combater esses incômodos é através de palmilhas sob medida, palmilhas personalizadas.
O principal benefício da palmilha é a eliminação das dores através da redistribuição das pressões plantares. A palmilha possui curvas e elevações específicas, chamadas de correções, que aumentam a área de contato do pé com o solo e diminuem os picos de pressão na sola dos pés.
Outro benefício da palmilha é a correção biomecânica. A palmilha sob medida melhora o alinhamento dos pés, tornozelos e joelhos, mantendo-os em uma posição neutra. Isso permite uma boa distribuição de carga por todo o membro inferior, eliminando áreas de compressão.

Estou aqui na presença do especialista em palmilhas de adequação postural, Dr Carlos Pires Neto.

– Fisioterapeuta da equipe de voleibol feminina de São Caetano do Sul.
– Fisioterapeuta da Seleção Brasileira feminina sub-20
– Sócio do Centro de Performance e Saúde C&P Saúde., ele é fabricante de palmilhas ortopédicas e nos informa que demora, em média, de 2 a 3 horas a avaliação e confecção de uma palmilha.

Temos três tipos de palmilhas, diz Dr. Carlos Pires
A palmilha de silicone, produzida com materiais siliconados, tem o papel de amortecer o impacto sobre os pés e articulações, prevenindo o aparecimento de doenças ortopédicas.
Esse tipo geralmente é indicado para pessoas que possuem uma rotina árdua em pé, como vendedores e professores, por exemplo, pessoas que podem utilizá-las para evitar problemas futuros. Valor de R$ 40 a R$ 80
Palmilhas Artesanais: ela é confortável. Seus elementos são distribuídos por toda a palmilha tendo um resultado positivo, todo seu diferencial é por ser feito a mão por especialista e com isso consegue fazer adaptações quando necessário, de acordo com a biomecânica atualizada do paciente. Valor de R$ 400 a R$ 600
Palmilhas 3D: São feitas por um software e impressora tem bons resultados, porém o terapeuta não consegue fazer adaptações depois de pronto. Valor de R$ 550 a R$ 800
Tanto as palmilhas artesanais como as 3D fazem a avaliação na Baropodometria e a importância desse exame porque ele tem duas avaliações.
Estática: o paciente fica parado em cima do aparelho e a dinâmica onde o paciente fica em movimento e com isso consegue avaliar quais partes não estão em contato ao solo e quais partes estão com maior pressão.
Após colher todos esses dados, inicia a confecção das palmilhas. As palmilhas devem ser trocadas sempre que houver alterações corporais, avaliadas pelo fisioterapeuta ou ortopedista.
Existem diversos estudos científicos que comprovam a eficácia do uso da palmilha nos tratamentos de reeducação corporal. Uma vida sem dor nos pés, tornozelos, joelhos e coluna por meio de conhecimento, engenharia e atendimento personalizado por um fisioterapeuta.

Novidade Brasileira
Prêmio Femic pelo comitê científico de avaliação internacional – credenciamento wifa conferido pelo desenvolvimento do projeto de Ensaios biomecânicos da pressão plantar em palmilhas de calçados monitorados por sensores.
Essa tecnologia inovará a área das palmilhas, trazendo informações precisas para prevenção de lesões como também tratamento das existentes e aumentar o desempenho dos atletas.
Com as informações obtidas através dos sensores vão detalhar como o pé está sendo utilizado, tipo de pisada, distribuição do peso, vai ser possível detectar dismetria de membros através da qualidade e distribuição da pisada. Isso tudo são informações preciosas para o profissional que está atuando com o indivíduo seja fisioterapeuta, médico ou educador físico.
As ganhadoras desses prêmios foram Maria Clara Castelló e Mariana Nakama Kasecker, da cidade de Londrina, colégio Mãe de Deus, alunas dos professores Marisa Falco Fonseca Garcia e Gabriel Lima Pereira. E a orientação está sendo minha Dra Silvia Batista. A idéia é desenvolver e colocar no mercado.
Meus agradecimentos ao Dr Carlos Pires pelas informações.
Estou à disposição de você, leitor do Jornal Dhoje, através do direct do meu Instagram @silviabatistafisiodancer ou @espacoanajoaosaude

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS