Outubro é marcado por ser o mês de conscientização do câncer de mama

Foto: Divulgação

O mês de outubro é conhecido pela campanha de conscientização que tem como objetivo alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama, popularmente conhecido como ‘Outubro Rosa’. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), mais de 50 mil novos casos da doença são registrados por ano no Brasil. O câncer de mama é uma das doenças que mais atinge a população feminina.

De acordo com o oncologista da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp), Newton Bordin, o câncer de mama é uma doença assintomática, sendo detectada por meio do autoexame ou então na mamografia. “A mulher não sente nada, às vezes casualmente durante o banho ela pode sentir um nódulo na mama ou então na mamografia, mas sem dor. Geralmente o câncer de mama é uma doença assintomática”, comentou.

Dhoje Interior

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são: caroço ou ondulação, pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja e alterações no bico do peito com saída de secreção ou não. O oncologista afirma que uma a cada oito mulheres até os 90 anos virão a desenvolver a doença. “O câncer é uma doença progressiva com a idade, sendo que depois dos 40 a incidência é maior. Em Rio Preto temos 100 novos casos todo ano”.

Alguns fatores de risco da doença são: a mulher não ter filho ou então ter depois dos 35 anos; consumir álcool; primeira menstruação muito cedo e menopausa tardia e ter na família alguém com câncer de mama. Exames de prevenção como mamografia e o autoexame são fundamentais e se descoberto no início, as chances de cura são maiores.

“A mulher que faz mamografia tem uma redução de 20% na mortalidade, em cima das mulheres que não fazem”, disse Bordin.

Segundo a médica radiologista Elizabeth de Souza, a mamografia é indicada anualmente para mulheres a partir dos 40 anos. “O exame de mamografia é o rastreamento de doenças assintomáticas comprovadamente melhor e mais eficiente que se tem”, afirmou.

A radiologista explicou que sempre há a dúvida entre as pacientes, mas mulheres que possuem próteses de silicone nas mamas podem fazer normalmente a mamografia. “Mesmo com a prótese dá para fazer a mamografia, pois é usada uma técnica especial nestes casos”, concluiu Souza.

Fonte: Priscila Carvalho – Redação jornal DHoje Interior