Orientações finais para o Enem

Foto Divulgação

Neste domingo (4), 5,5 milhões de candidatos devem realizar a prova do primeiro dia do Enem. A abertura dos portões está programada para as 12h e o fechamento para as 13h.

Os candidatos poderão iniciar o exame às 13h30. É preciso que os estudantes fiquem atentos, porque, do sábado para o domingo, entra em vigor o horário de verão. Dez estados, além do Distrito Federal, deverão adiantar o relógio em uma hora. Além de ficarem atentos à mudança de horário, os candidatos precisam se atentar para o que devem levar no dia da prova. Além de um documento oficial de identificação original
com foto, os estudantes precisam de caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente (é sempre recomendado que leve mais de uma caneta para o caso de ter algum problema).

Como lembra Marcelo Rodrigues Alves, professor de química e coordenador de um colégio em Rio Preto, é recomentado também que os candidatos levem água e pequenos lanches.

Além disso, é essencial manter a tranquilidade. “No domingo, é bom chegar um pouco antes, fazer um alimentação bem leve, pois a nossa cidade é muito quente. Eu brinco que, com o calor, uma barra de chocolate não vai dar muito certo, mas uma barrinha de cereal para comer durante a prova é legal.

Além disso, é importante se hidratar e ter paciência. O Enem é uma prova que, se você estiver tranquilo, o rendimento vai ser muito maior”, aconselha. Na hora da prova, é proibido o uso de dispositivos eletrônicos, como relógio, alarme, calculadora, além de itens, como borracha, caneta de material não transparente, fones de ouvido, lápis, lapiseira, livros ou manuais. Também não é permitida a entrada de candidatos com óculos escuros, boné, chapéu, viseira, gorro ou qualquer acessório que cubra os cabelos ou as orelhas.

“Como dica: lembrar que essa prova não é só teoria que aprendemos na escola. Em tudo, eles estão falando de fenômenos, coisas que acontecem no nosso dia a dia. Então, há duas maneiras de resolver a prova do Enem: uma é com conceito teórico, que, na verdade, é o caminho mais difícil e a outra é a gente usar o que a gente
vive no dia a dia. Então, quando ler o enunciado, é legal imaginar o que está acontecendo, pois são coisas da nossa realidade.

Se você consegue imaginar, vai ficando cada vez mais fácil chegar a uma resposta correta”, aconselha Alves. Conteúdo especial: Leandro BRITO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS