Operação contra pedofilia prende cinco em Rio Preto

Uma megaoperação contra o abuso e exploração sexual infantojuvenil na internet, realizada pelo Ministério da Segurança Pública com a coordenação das Polícias Civis do Distrito Federal e de 18 estados, além do Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires, Argentina, foi desencadeada no início da manhã de hoje. Em Rio Preto, informações preliminares apontam que pelo menos cinco pessoas foram presas.

Batizada de Operação Luz na Infância 3, a blitz dá continuidade aos trabalhos de identificação de crimes relacionados à pedofilia praticados no meio cibernético. Devem ser cumpridos 69 mandados de busca e apreensão. O CIJ faz operação simultânea e cumpre 41 mandados de busca. Os alvos internacionais foram identificados após atuação conjunta entre a Diretoria de Inteligência da Senasp/MSP e autoridades policiais argentinas.

O efetivo mobilizado na ação conjunta é estimado em mil policiais. Segundo nota divulgada pelo Ministério da Segurança Pública, “a Operação Luz na Infância 3 é fruto de cooperação entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública, a Polícia de Imigração e Alfândega dos EUA (US Immigration and Customs Enforcement – ICE), o Corpo de Investigações Judiciais (CIJ) do Ministério Público Fiscal da Cidade Autônoma de Buenos Aires e as Polícias Civis do Brasil para o desenvolvimento e aprimoramento da atividade de repressão à exploração sexual infanto-juvenil”.

O início da Operação Luz na Infância aconteceu em outubro de 2017. Na ocasião, foram cumpridos 157 mandados e presos 112 abusadores. Na segunda edição, ocorrida em maio de 2018, houve cumprimento de 579 mandados de busca, resultando na prisão de 251 pessoas.

Uma coletiva de imprensa para apresentar o balanço da blitz está marcada para as 11 horas desta quinta-feira, em Rio Preto. Na capital federal, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, também concede entrevista coletiva, às 11h, para falar sobre os resultados da Operação Luz da Infância.

Mais informações em breve.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS