O perigo do uso incorreto do colírio

Cuidados - Oftalmologista Vinicius Ferraz. (FOTO GUILHERME BATISTA)

E os riscos não ficam só na sua saúde oftalmológica. Mesmo em baixas doses, os colírios podem causar alterações no ritmo cardíaco e pressão arterial.

Você é daqueles que quando sente um incomodo, irritação ou percebe uma vermelhidão nos olhos, mais do que de pressa faz o uso de colírio para ter um alívio imediato ou tem o costume de emprestar o seu colírio para alguém próximo? Então fique atento, porque esse tipo de comportamento pode trazer vários transtornos para quem pratica.

O uso errado do colírio pode ser extremamente prejudicial a sua saúde oftalmológica. Os problemas causados pelo uso inadequado do remédio podem ser também sistêmicos (no seu sistema oftalmológico). Alguns deles podem ser escondidos nos tratamentos com colírios, ou seja, tais tratamentos podem esconder os sintomas de algumas doenças, fazendo com que haja uma piora de quadros infecciosos e em alguns casos, complicações em longo prazo, além de trazer algumas doenças como catarata, glaucoma entre outros.

E os riscos não ficam só na sua saúde oftalmológica. Mesmo em baixas doses, os colírios podem causar alterações no ritmo cardíaco e pressão arterial. Alguns sintomas dessas alterações podem ser sonolência, boca seca e confusão mental, por isso os colírios devem ser ponderados e prescritos por médico oftalmologista.

E não pense que na hora do aperto qualquer um serve! O melhor colírio deve sempre ser prescrito pelo oftalmologista, pois é o profissional que pode diagnosticar e tratar as doenças dos olhos, sempre de acordo com exames adequados. O oftalmologista Vinicius Ferraz ressalta a importância não só do cuidado ao usar o remédio em excesso, mas também de ter o seu próprio colírio, ou seja, não compartilhar com outras pessoas, pois colírios devem ser sempre de uso pessoal e exclusivo, para evitar contaminações causadas pelo compartilhamento. “Aquela mania que muitos têm de emprestar colírio para o próximo, mesmo que seja só para tirar uma vermelhidão dos olhos, está completamente errada, pois cada receita é prescrita pelo oftalmologista, de acordo com a necessidade do caso” explicou Ferraz.

Apesar de todos os riscos que o mau uso do colírio pode trazer para a saúde dos olhos e ser vendidos em várias farmácias sem receita médica, eles são sim considerados remédios, mas em uma forma líquida para serem pingados diretamente nos olhos. Colaborou: Thais
LOBATO

 

Da REPORTAGEM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS