O auxílio das agulhas da acupuntura na saúde dos pacientes

A acupuntura tem efeito relaxante muscular, antidepressivo, é capaz de aumentar a imunidade do corpo e não possui contraindicação de idade, podendo inclusive abranger mulheres grávidas

Muitas pessoas podem ter certo medo, receio ou até mesmo pavor da acupuntura, tratamento que é feito com agulhas inseridas no corpo do paciente, mas que age melhorando a saúde de quem se submete a essa técnica. De origem chinesa, a acupuntura é praticada há cerca de cinco mil anos e no Brasil é considerada uma especialidade médica pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) e pela AMB (Associação Médica Brasileira) desde 1995.

Conhecida como uma terapia integrativa, a acupuntura age melhorando a circulação sanguínea, alívio da dor, auxílio em outros tratamentos médicos, além de liberar substâncias químicas produzidas pelo cérebro, com efeito analgésico e anti-inflamatório. De acordo com o médico acupunturista da Famerp, João Bosco Guerreira da Silva, no país desde os anos 60 a prática terapêutica têm provado cientificamente o seu valor. “A acupuntura estimula todo o sistema nervoso, principalmente o sistema nervoso autônomo, capaz de regular por meio de impulsos nervosos”, disse o acupunturista.

A terapia chinesa é oferecida pelo SUS desde 1988 na Famerp e também no Ambulatório Médico de Especialidades (AME), em Rio Preto. Por mês são atendidos cerca de 500 pacientes pela Famerp e por lá, o trabalho é feito por dois professores e quatro médicos residentes da instituição, que oferece desde 2004 a residência médica em acupuntura.
A acupuntura tem efeito relaxante muscular, antidepressivo, é capaz de aumentar a imunidade do corpo e não possui contraindicação de idade, podendo inclusive abranger mulheres grávidas. “É um mito de que mulheres grávidas não possam fazer acupuntura. A técnica é mais segura do que até mesmo determinados medicamentos”, explicou Silva.

Diversas enfermidades podem ser tratadas com a terapia chinesa, principalmente as dores relacionadas ao sistema músculo-esquelético. Dependendo da gravidade do caso, apenas as sessões de acupuntura já são eficazes no tratamento, sem necessidade até mesmo do uso de medicamentos. Em casos crônicos a acupuntura ainda auxilia, fazendo com que a medicação atue de forma melhor no tratamento do paciente.

 

Por Priscila Carvalho

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS