Número de doentes renais atendidos em casa dobra em Rio Preto

Conquista - Morador de Ibirá, Fidelcineo Fernandes passou a fazer a diálise em casa

O número de pacientes com doença renal crônica que realiza o tratamento de diálise peritoneal em casa pelo Hospital de Base (HB) de São José do Rio Preto mais que dobrou. Em janeiro deste ano, a instituição registrou 54 pacientes atendidos. No mesmo período do ano passado, o número era de 26.

O tratamento é oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por meio do custeio do aluguel da máquina e dos materiais. De acordo com a nefrologista do HB, Neide Murai, a opção traz comodidade aos pacientes. “Com o aparelho em casa, o paciente não precisa realizar uma dieta tão rigorosa, por exemplo. Isso porque é possível realizar o procedimento todos os dias ao dormir. Além de não ter de se deslocar três, quatro vezes por semana ao Hospital para o tratamento”, afirma.

Este era o caso de Fidelcineo Fernandes Pereira, 73 anos, morador de Ibirá. O aposentado foi diagnosticado com um grave quadro de insuficiência renal há um ano. Após a descoberta, iniciou o tratamento em que viaja três vezes por semana para as sessões de hemodiálise.

“Era muito difícil para nós ter de sair da cidade tantas vezes. Passávamos o dia todo no hospital, o que é bem complicado para o meu pai, idoso, e para toda a logística da casa”, afirma Neusa Fernandes pereira, 53, filha mais velha do paciente.

Com o diagnóstico favorável da equipe multidisciplinar do HB, Fidelcineo passou a realizar diálise em casa. Para a conquista, foi necessário não só uma avaliação clínica, como a realização de um curso para o manuseio correto do aparelho. As aulas foram frequentadas pela sua filha. “O curso é tranquilo e nos tira todas as dúvidas. Depois só fazemos algumas reciclagens”, conta Neusa.

Segundo o paciente, o procedimento é tranquilo e indolor. “Já engordei 16 quilos novamente, minhas penas desincharam e a praticidade de estar no meu lar me trouxe um tratamento mais calmo. É outra vida”, enfatiza.

Outro ponto importante é a liberação de vagas nos aparelhos de hemodiálise. “Com uma parcela de doentes renais realizando procedimentos em casa, temos as máquinas dos hospitais disponíveis para atender outras pessoas com insuficiência”, explica a nefrologista.
Atualmente 74 pacientes fazem diálise peritoneal pelo SUS em São José do Rio Preto. De acordo com a Secretária de Saúde, a cidade não tem fila de espera para o tratamento renal.

 

Por Marina LACERDA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS