Nova opção de tarifa branca divide rio-pretenses

Foto: Guilherme BATISTA

Válida a partir do dia primeiro de janeiro, tarifa será uma opção aos consumidores para a variação dos valores de energia conforme o dia e o horário de consumo; rio-pretenses ficaram divididos quanto a aderir à nova proposta

Assim que virar o ano, o consumidor terá uma nova opção de tarifa para pagar valores menores em sua conta de energia elétrica. Divulgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a tarifa branca, que permite o consumidor pagar valores menores se usar a energia elétrica fora do horário de pico, será válida para quem consome, em média, 500 Kwh/mês.

“Hoje existem as tarifas azul – ponta e fora de ponta – e verde – fora de ponta. Dentre as duas opções existem preços diferentes em determinados horários. A tarifa branca vai valer das 22h até às 17h do dia seguinte. Se a pessoa conseguir mudar seus hábitos ele vai gerando consumo dentro desse horário”, explicou o engenheiro rio-pretense, Fábio Berreta.

De acordo com a Aneel, a opção pela nova tarifa pode fazer o consumidor economizar de 15 a 20% do valor de sua conta.

A medida será feita de forma gradual. A princípio para quem tem um consumo médio de 500 Kwh/mês já pode aderir à tarifa em janeiro. “Normalmente, quem consome esse tanto de energia, são locais grandes, família de três a quatro pessoas. Temos que lembrar que a medida não será implantada para consumidores de baixa renda”, finalizou Fábio Berreta.

Em Rio Preto, a faxineira Nilza Marcelino se mostrou favorável à mudança, mesmo não conseguindo realizar em sua residência. “Não tem jeito, porque meu marido é acamado. Mas, se pudesse fazer, com certeza eu faria (mudança de hábitos)”, afirmou.
Já a dentista Aurete Laguna, se mostrou contrária à nova tarifa. “Como vamos aderir isso com esse calor? Não tem como ficar sem ligar o ar-condicionado nesses horários”, disse.

Em nota, a CPFL informou que para aderir à tarifa branca, o consumidor solicita adesão nas agências de atendimento da CPFL. Quem optar pela nova tarifa e quiser mudar depois terá um mês para desistir.

Fonte: Marcelo SCHAFFAUSER – Redação jornal DHoje Interior

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS