“No momento eu não desconfiei da mulher, tanto que a gente só foi entender no outro dia”, diz mãe que impediu sequestro de filho

Os pais de um menino de dois anos, aluno da escola municipal Cachinhos de Ouro, na Vila Diniz, em Rio Peto, procuraram a Central de Flagrantes nesta segunda-feira (17), para denunciar um caso de falsa identidade.

O boletim de ocorrência foi registrado pelo pai da criança, conforme o registro policial, somente ele, sua esposa e avós paternos têm autorização para retirarem a criança da escola.

No último dia 12, por volta das 17h45, a mãe foi buscá-lo e flagrou uma desconhecida, aparentando 45 anos, forte, pele branca, com aproximadamente 1,65 m de altura, com cabelos curtos e pretos, com camiseta verde com estampa de flores e calça escura, a qual acompanhava o menino na direção da saída da escola.

Ao perguntar o porquê o filho estava chorando, acreditando que a mulher era funcionária do colégio, teve como resposta que havia brigado com outros alunos e tinha sido repreendido pela professora.

“No momento eu não desconfiei da mulher, tanto que a gente só foi entender no outro dia, ficamos anestesiados”, disse a mãe da criança, que preferiu não se identificar.

No dia seguinte, ao levar o menino para a escola, a mãe descobriu pela professora que a mulher havia se apresentado como avó e iria levá-lo embora.

“A professora pensou que a mulher fosse a avó do meu filho e eu quando a vi pensei que fosse funcionária da escola. Encontrei meu filho com a mulher  já no pátio,  no momento ele chorava, então eu peguei  ele no colo e ela [suspeita] foi embora, foi bem rápido”, contou a mãe.

Abalada com a situação, a mãe da criança ponderou ainda que, “quando chegamos em casa meu filho chorou muito. A gente sempre confiou na escola, meu marido estudou lá, minhas irmãs estudaram. Não somos ricos, a gente não consegue entender, não temos o que falar da escola. Uma reunião entre os professores foi feita e terá outra reunião”, afirmou a mãe da criança.

Sobre o ocorrido a secretaria de Educação se posicionou por meio de nota e disse que o caso está sob investigação, “A Secretaria de Educação informa que deu início aos procedimentos para instaurar comissão de averiguação e que orientou a família a registrar o boletim de ocorrência. Todos os protocolos de segurança foram revisados com a equipe escolar da unidade”.

Por Mariane Dias