Nebulização contra o Aedes volta a ser feita em várias cidades

Municípios da região que tiveram surto ou epidemia de dengue no ano passado retomaram a nebulização contra o Aedes aegypti. É o caso de Rio Preto, Votuporanga e Catanduva.

A Prefeitura catanduvense retomou a nebulização costal de combate ao mosquito.

Com 400 casos de dengue confirmados e outros 1.043 em investigação, o município que vive uma epidemia também investiga quatro mortes suspeitas da doença.

O ‘fumacê’, que havia deixado de ser realizado em várias cidades devido o desabastecimento do inseticida cuja distribuição é feita pelo Ministério da Saúde, começou pelo bairro Bela Vista, onde estão os casos positivos mais recentes de dengue, ainda dentro do período para bloqueio.

Antes da chegada do veneno, os agentes de endemias passam de casa a casa orientando os moradores sobre os procedimentos que devem ser adotados para facilitar a ação.

A recomendação é de que sejam abertas portas e janelas, além de manter cobertos filtros de água, utensílios de cozinha e alimentos.

As vasilhas de água de animais domésticos devem ser retiradas durante o trabalho.

Votuporanga, outra cidade da região que estava sem o inseticida e em epidemia de dengue, voltou com o trabalho de nebulização nesta semana.
Os agentes começaram com o ‘fumacê’ em bairros da Região Norte, onde o índice larvário está alto.

A cidade já registrou neste ano 1.043 casos de dengue, tendo uma média de 36 confirmações por dia.

O inseticida deve ser o suficiente para o trabalho de dez dias.

 

Por Vinícius LOPES