Mutirão de cirurgia de catarata entra em ação

Foto Guilherme BATISTA

O hospital oftalmológico D’Olhos inicia, neste sábado (10), as primeiras cirurgias de catarata. A ação fazer parte do mutirão contra a doença, anunciado pela Secretaria Municipal da Saúde de Rio Preto. Neste primeiro momento, 20 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) serão operados. Até o final de dezembro, o hospital pretende realizar mil operações de catarata, para contribuir com a redução da fila de espera, que hoje dura até seis meses.

De acordo com Carlos Figueiredo, especialista em catarata e íris, a catarata é a opacificação do cristalino. Dentro do olho, há uma lente que trabalha no foque da visão. Com o tempo, o cristalino sofre a influência da luz ultravioleta e vai ficando opaco. “Quem tem a catarata com 60 anos, já começou a desenvolver aos 50. Ela vai aumentando gradativamente. Na hora que atrapalha a visão, a pessoa precisa procurar um oftalmologista”, diz o doutor.

A catarata é a maior causa de cegueira reversível do mundo. Já o glaucoma tem destaque na cegueira irreversível. Quando a catarata fica muito madura, ela pode causar outras complicações, como inflamação e o próprio glaucoma. Figueiredo comenta alguns dos sintomas relacionados à catarata. “O principal sintoma é o embaçamento da visão para longe, parece que tem uma nevoa na frente. Outra coisa é a fotofobia noturna, quando você está guiando e os faróis incomoda a visão. Esses são os sintomas iniciais”, explica.
Antigamente, a cirurgia da catarata era realizada quando ela já estava madura. Só no estágio mais avançado, era possível tirar para fora. Atualmente, o cristalino não é mais retirado inteiro. Diferente de antes, a cápsula anterior é aberta, dilui o núcleo e aspira. “Hoje, quando mais cedo faz a catarata, melhor, pois o núcleo está mais mole e as cápsulas estão mais firmes para que a lente seja suportada dentro do olho”, comenta Figueiredo.

As cirurgias do mutirão serão realizadas pela Santa Casa e por outras unidades de particulares, que decidiram apoiar a iniciativa da Prefeitura. Os pacientes que precisam realizar o procedimento cirúrgico por conta da catarata devem procurar uma Unidade Básica de Saúde, onde fará a consulta com um clínico geral. Se tiver necessidade, a pessoa vai ser encaminhada para um oftalmologista. Caso seja confirmado o diagnóstico, ela é inserida na fila para esperar a cirurgia.

 

Por Leandro BRIT

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS