Músicos rio-pretenses protagonizam projeto Samba Esquema Nosso, no Sesc Rio Preto

Durante o mês em que se comemora o Dia Nacional do Samba, programação traz seis shows gratuitos que contemplam o samba e seus diversos estilos

No mês em que se comemora o Dia Nacional Samba, celebrado em 2 de dezembro, o gênero musical genuinamente brasileiro ganha uma programação especial no Sesc Rio Preto, chamada Samba Esquema Nosso. São seis shows gratuitos com músicos rio-pretenses, que festejam o samba em variados estilos: samba raiz, pagode dos anos 1990 e samba de terreiro.

As apresentações começam neste domingo, dia 3. O grupo Trem das 11 abre a programação, às 15h, no palco da Comedoria. Especialista em samba raiz, o grupo mostra um repertório com canções de Cartola, Noel Rosa, Pixinguinha, Adoniran Barbosa, Paulinho da Viola e Martinho da Vila. Na sequência, às 16h, quem se apresenta é o sambista Marquinho Art, com mais de 20 anos de estrada. Ele interpreta músicas dos anos 1990, de grupos como Raça Negra, Só Pra Contrariar, Molejo, Art Popular, Katinguele, Negritude Jr, e outros.

Dhoje Interior

A cantora Jaqueline Cardoso fecha a programação, às 17h, trazendo o legítimo samba de terreiro, batido na palma e cantado com coração. Os destaques do repertório são Roque Ferreira, Nelson Rufino e Toninho Geraes.

O ritmo também será celebrado em um show da banda Visão do Coração, com um repertório baseado em clássicos do samba aguçados por sentidos que vão além da visão, com início às 14h, na Comedoria. Essa apresentação é pela programação da Semana Inclusiva – iniciativa do Sesc São Paulo que incentiva a discussão e busca possibilidades concretas de inclusão.

No domingo, dia 10, Bozó e Amigos abre a programação. Além dos clássicos do samba, o grupo mostra composições próprias, que falam de encontro entre amigos, amores e situações cotidianas, com as influências de Zeca Pagodinho, Diogo Nogueira e Cartola. O show começa às 15h, na Comedoria. Depois, o sambista Marquinho Art volta a se apresentar no Especial Samba Esquema Nosso, às 16h, seguido novamente pela cantora Jaqueline Cardoso, com show marcado para às 17h.

 

A data

O Dia Nacional do Samba surgiu a partir de uma iniciativa de um vereador baiano, Luís Monteiro da Costa, para homenagear o compositor mineiro Ary Barroso, na data em que ele visitou Salvador pela primeira vez. Ary Barroso compôs o sucesso Na Baixa do Sapateiro, gravado por Carmem Miranda em 1938. A data, inicialmente restrita a Salvador, transformou-se em uma comemoração nacional.

 

SAMBA ESQUEMA NOSSO

No mês em que se comemora o dia nacional do ritmo mais marcante da música brasileira,

músicos rio-pretenses festejam o samba e suas variações: samba raiz, pagode dos anos 1990 e samba de terreiro.

 

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

SHOW

VISÃO DO CORAÇÃO | SEMANA INCLUSIVA

A banda rio-pretense apresenta clássicos do samba aguçados por sentidos que vão

além da visão.  

Dia 3, domingo, 14h.

Comedoria. Grátis.

 

TREM DAS 11

O grupo, especialista em samba raiz, traz no repertório canções de Cartola, Noel Rosa, Pixinguinha, Adoniran Barbosa, Paulinho da Viola e Martinho da Vila.

Dia 3, domingo, 15h.

Comedoria. Grátis.

 

MARQUINHO ART

O sambista rio-pretense, com mais de 20 anos de estrada, mostra músicas dos anos 1990, de grupos como Raça Negra, Só Pra Contrariar, Molejo, Art Popular, Katinguele, Negritude Jr, entre outros.

Dias 3 e 10, domingos, 16h.

Comedoria. Grátis.

 

JAQUELINE CARDOSO

A cantora traz o legítimo samba de terreiro, batido na palma e cantado com coração. Os destaques do repertório são Roque Ferreira, Nelson Rufino e Toninho Geraes.

Dias 3 e 10, domingos, 17h.

Comedoria. Grátis.

 

BOZÓ E AMIGOS

Além dos clássicos do samba, Bozó apresenta composições próprias, que falam de encontro entre amigos, amores e situações cotidianas, com as  influências de Zeca Pagodinho, Diogo Nogueira e Cartola.

Dia 10, domingo, 15h.

Comedoria. Grátis.

Da REDAÇÃO