Música tocada em asilo viraliza com mais de 500 milhões de visualizações

O cantor e compositor maringaense Del Rubens Monteiro, de 70 anos, compôs a música ‘Hoje sou um tanto faz para quem eu tanto fiz’ e foi até o Asilo São Vicente de Paulo, em Maringá, para interpretar a canção entre os internos da instituição. Ele emocionou aos idosos trazendo a dura realidade vivenciada por muitos dos presentes.

O vídeo foi gravado e lançado nas redes sociais em fevereiro de 2019 e hoje já tem mais de 500 milhões de visualizações nas redes sociais e mais de 300 mil compartilhamentos. Nos comentários do vídeo, há milhares de internautas dizendo “que vídeo emocionante”, “a letra desta música é a realidade para a maioria”, “que linda letra” e “dá para observar nos olhos de cada idoso o quanto a letra tocou neles, emocionante”.

Dhoje Interior

A música relata um pouco sobre o abandono dos idosos em asilos. “Fui para o asilo dar um grito de alerta aos filhos, aos amigos, para que visitem mais os asilos e que levem o seu calor às pessoas que um dia te deram a vida, juntamente com Deus”, frisa.

Del Rubens conta que depois de muito tempo, o sucesso foi acabando e sua família passou a praticamente ignorar o seu trabalho. “Chegou um momento em que gastei muito dinheiro para gravar o DVD, pois gastei com orquestra e tudo mais. E depois da gravação desse DVD, a família acabou me abandonando”, salienta.

“Eu sempre levava a minha vizinha para visitar o senhor Marcelo, que estava em uma casa de repouso em São Paulo, e isso me despertou uma vontade de cantar e gritar por aquelas pessoas que viviam ali, como se fosse um depósito de idosos. E aí comecei a criar músicas, e como eu também fui praticamente abandonado pela família, fiquei morando sozinho. Era muito estresse, depressão e sofrimento, não foi fácil. Então, com esse sofrimento que passei, compus a música ‘Hoje sou um tanto faz pra quem eu tanto fiz’’, e depois eu comecei a visitar mais os asilos”, explica Del.

E acrescenta que “comecei a ver que aquelas pessoas ficavam ali sofrendo e alguns idosos me diziam ‘não fala da minha família, pois hoje a minha família são essas pessoas que estão aqui comigo’. E desde então, acabei fazendo a música, fui ao asilo e fiz o show pra eles, cantei canções, músicas do Roberto Carlos, músicas sertanejas e músicas de carnaval, entre outras’’, recorda.

“Já faz um ano que essa música é um sucesso. E daí pedi licença e falei: ”E agora como sou igual vocês, tenho 70 anos, vou sentar no meio de vocês e vou gritar para o mundo e pedir socorro por uma ajuda, para as pessoas visitarem mais e para os amigos, familiares terem mais amor e compaixão, porque na realidade os idosos, hoje, estão quase sendo descartados pelos filhos’’, pondera.

Del finaliza que não esperava que a música fosse ter toda essa repercussão. “A canção toca na Itália, França, Portugal e o Brasil todo conhece. Fiquei muito feliz porque Deus me colocou nessa missão de dar esse grito de alerta por essas pessoas e por mim também. Estou levantando esse troféu da vitória de ser um digno representante das pessoas da minha idade na qual fico muito feliz e agradeço a todo instante a Deus por essa felicidade’’, conclui.

Por Verônica MAESTRELLA