Munícipe quer lei para limitar tempo de espera em unidades de saúde

Foto Claudio Lahos

O grande tempo de espera dos usuários nos atendimentos da rede pública de saúde gera inúmeras reclamações por parte das pessoas que necessitam dos serviços de saúde. Diante disso, o munícipe Paulo Cesar Rocha Rodrigues, 54 anos, protocolou na Câmara de Rio Preto um pedido para que os parlamentares solucionem esse problema.

A intenção é de que o Legislativo crie um projeto de lei que fixa em 30 minutos o tempo máximo de espera por consultas e exames em hospitais, clínicas, consultórios, unidades básicas de saúde (UBS), unidades de pronto atendimento (UPAs) e laboratórios.  No caso de internação, limita-se a espera a três horas. Mas se houver diagnóstico de necessidade de cuidados intensivos, a proposição determina o internamento imediato.

De acordo com Paulo Rocha, o controle do tempo deverá ser realizado por meio de senhas numéricas no local, com o horário de chegada do paciente, e em caso de ser ultrapassado o tempo de atendimento, serem penalizados os administradores públicos, inclusive com as penas de improbidade administrativa.

A primeira sessão ordinária do ano está marcada para o dia 5 de fevereiro.

Por Vinícius MAIA

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS