Mulher é morta enforcada pelo pai da filha de apenas dois dias

Divulgação: Facebook

Uma mulher de 36 anos foi morta pelo ex-companheiro, na tarde de terça-feira (03), na Estância São Thomaz, em Rio Preto. O corpo estava com várias abraçadeiras, popularmente chamadas de “enforca-gato”, no pescoço.

De acordo com o boletim de ocorrência, o corpo de Maria Fabrícia da Silva foi localizado caído na Avenida Mirassolândia, por um pedestre que passava pelo local.

O ex-companheiro da vítima, um marceneiro de 20 anos, foi até o Plantão Policial para registrar a ocorrência de desaparecimento, quando o delegado desconfiou da versão apresentada. O homem foi preso suspeito de ter cometido o crime.

O suspeito é pai da filha da vítima, que tem apenas dois dias de vida.

Como ele mora com a família em uma casa vizinha a da vítima, a polícia foi até o local e encontrou a criança com a tia, irmã do marceneiro.

Pelo celular dele os policiais conseguiram identificar o caminho que o suspeito fez e descobriu o local do crime.

O marceneiro confessou que deu uma gravata na mulher, ainda dentro do carro, até deixá-la desacordada e, em seguida, a matou com os “enforca-gatos” no pescoço.

O homem foi preso em flagrante e vai responder por latrocínio, por ter levado R$ 200 e o celular da vítima. Ele foi encaminhado à carceragem da DIG, Delegacia de Investigações Gerais, e aguarda uma audiência de custódia.

Por Bia MENEGILDO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS