Mudança na lei obriga partidos a se reorganizarem para 2020

Número de vereadores deve reduzir no próximo ano (Foto: arquivo)

A partir do ano que vem, dos 13 partidos que dividem o parlamento da atual Câmara de Vereadores, segundo os próprios políticos, esse número deve ser reduzido pela metade. A nova lei rege que o candidato deverá lançar candidatura única, ou “pura” para concorrerem ao cargo do legislativo. Com essa modificação, não ocorrerá mais o caso de um vereador bem votado se eleger e “levar outro” conhecido como as “eleições proporcionais”. Anteriormente, todos os votos obtidos pelos partidos coligados eram levados em conta no cálculo para a distribuição das vagas.
No entanto, essa novidade não se aplica para as candidaturas a prefeitura, que poderão formar coligações com outros partidos normalmente.

Com a palavra, os políticos.

Dhoje Interior

Todos os vereadores concordam que a dificuldade será grande e que isso fatalmente ficará claro durante as campanhas. “O nosso partido está confiante, mas, sabemos que será uma situação difícil para todos os partidos. Estamos trabalhando para diminuir os riscos, pois, como essa é uma determinação nova temos que acatar e esperar pra ver como vai acontecer”, disse o vereador pelo Progressista Paulo Pauléra.

O presidente do PRB em Rio Preto, Diego Polachini, lembrou que essa é uma situação que vai deformar o numero de legendas na cidade. “Nosso partido não discutiu ainda, mas, sabemos que essa mudança vai dificultar para todos. Nós temos uma legenda ampla e crescente, portanto, vamos trabalhar para minimizar possíveis problemas”, lembrou.

Outro que destacou o problema da redução de legendas que essa nova medida vai acarretar foi o presidente do PSD, Antônio Tadeu Martins. “Nós sempre pensamos numa chapa pura, mas, estamos ainda aguardando para ver como será isso a partir do próximo ano. Isso vai trazer certa dificuldade”.

Carlos Henrique, presidente do Partido dos Trabalhadores de Rio Preto vem com naturalidade essa situação. “Pode ser visto como um problema para alguns, mas devemos entrar com chapa completa no próximo ano”, disse.

O presidente do DEM em Rio Preto, Roberto Toledo, pontuou que a disputa será mais efervescente ainda. “Não vai adiantar um partido com 20 vereadores com mil votos cada. O melhor seria um candidato com 10 mil”, disse.

Alison Moura