MP deve entrar com ação contra Estado sobre 3ª faixa da Washington

A proposta do Ministério Público (MP) é de que o Estado de São Paulo faça, com “urgência” a construção da pista alternativa ao menos no trecho entre o trevo do Distrito de Schimitt e o clube Monte Líbano .

O Ministério Público (MP) de Rio Preto deve ajuizar, hoje, uma ação contra o Estado de São Paulo para que o governo providencie a construção da terceira faixa da rodovia Washington Luís (SP-310), entre Cedral e Mirassol. A informação é do promotor de Justiça Cláudio Santos de Moraes.

A proposta da promotoria é para que o Estado acelere o projeto que já existe para ampliação da rodovia para “desafogar” o trânsito do trecho. “Está tudo pronto para ajuizar a ação, hoje. O objetivo é fazer o Estado construir essa terceira faixa na estrada”, afirmou o promotor.
O pedido do Ministério Público deve ser feito como “urgente”, segundo adiantou Claúdio. “Vamos pedir a construção da faixa, de preferência, o mais rápido possível, entre o trevo do Distrito de Schimitt e o clube do Monte Líbano”, explicou. “Um dos pontos mais críticos”, complementou o promotor.

Audiência
A ação do Ministério Público repercute uma audiência pública, realizada no dia 6 de abril, entre a Comissão de Desenvolvimento Econômico e Defesa do Consumidor da Câmara, Prefeitura e técnicos.

Na ocasião, a criação dessa terceira faixa na Washington Luís foi colocada então como uma das soluções para o problema do congestionamento do entroncamento entre a estrada e a rodovia Transbrasiliana (BR-153).

“A solução é criar uma marginal da marginal. Uma pista dupla entre a rodovia e a marginal existente. Existe este estudo feito pela Triângulo do Sol (concessionária da Washington Luís) que já foi encaminhado ao Governo Estadual”, afirmou, durante audiência, o engenheiro civil, Pedro Zacarin. “Então a parte técnica já existe, agora só falta a vontade política”, destacou ele na ocasião.

Problema
As filas de congestionamentos no entroncamento da BR-153 com a rodovia Washington Luís (SP-310) causam transtornos nos primeiros e últimos horários do dia aos motoristas que precisam usar o trecho para entrar ou sair da cidade. Avaliada em R$ 500 milhões, a faixa alternativa na Washington pode ser então a saída para amenizar o problema.

 

Por Francela Pinheiro

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS