Motorista envolvido em acidente com quatro mortos na BR-153 é condenado a 15 anos de prisão

REPRODUÇÃO/ARQUIVO PESSOAL: Motorista é acusado de ter provocado o acidente que matou quatro rapazes no dia 19 de Junho de 2016

A Justiça Paulista julgou na terça-feira (25), Fabiano Ferreira Lemes, 35 anos, acusado de dirigir sem a carteira de motorista e ter provocado a morte de quatro pessoas, no km 117 da rodovia Transbrasiliana (BR-153). O acidente foi em junho de 2016 no trecho que passa por Ubarana-SP (a 57 km) de Rio Preto. A plenária de júri popular aconteceu no fórum de José Bonifácio.

No dia 30 de novembro, cinco meses depois da tragédia, o juiz da 1º Vara Criminal de Bonifácio, Tiago Octaviani, pronunciou o réu por causar a morte do adolescente, Guilherme Donizetti Grillo, Jonas Zaqueo de Lima, Alessandro da Silva, João Pedro Ferreira Cuenca e Giovanni Garcia, este último teve lesões graves e sobreviveu.

Narra a queixa da promotoria que, Lemes guiava a caminhonete GM/S10 executiva 2006, com tração nas quatro rodas pela madrugada em alta velocidade, quando bateu na traseira de um Corcel onde estavam os cinco jovens com idades entre 19 e 28 anos, entre eles um adolescente de 13.

Todos eram evangélicos e retornavam de uma festa. Na época, o crime de trânsito comoveu os moradores de José Bonifácio que tem 36 mil habitantes (segundo censo IBGE 2010).

Ainda conforme relatos do processo; o motorista consumiu bebidas alcoólicas e assumiu o volante. O carro onde estavam os vitimados foi arrastado por cerca de cinco metros e só parou depois de ter sido prensado numa árvore.

Com o impacto o Corcel foi para o outro lado da faixa de rolamento.

Em seguida, Lemes, teria deixado o local sem prestar socorro. A pedido do delegado a prisão preventiva dele foi decretada pelo juiz.

“Réu, além de ter dado causa ao fatídico acidente, teria assumido livre e conscientemente o risco de produzir o resultado verificado ao imprimir, segundo acusação, alta velocidade, durante a madrugada em rodovia federal com altos índices de acidentes fatais”, comentou o magistrado, Octaviani.

A reportagem do DHOJE Interior não localizou a defesa do réu para falar sobre o caso. O espaço continua aberto. Até a redação fim desta história, quatro pessoas já tinham sido ouvidas pelos sete jurados, um dele é Giovanni.

Fabiano, que alegou em juízo durante a instrução da ação penal, não ter bebido, além de refrigerante, disse que o primo dele o convidou por telefone para ir a uma festa de aniversário, onde ficou comendo e’ conversando com algumas amigas, admitiu que ‘tinha levado cerveja, mas deixou na caminhonete’.

Como não tinha onde dormir, resolveu ir embora.

Na versão do acusado, o veículo em que estavam as vítimas surgiu na frente dele com os faróis apagados. Disse que aceleração da caminhonete estava dentro dos limites compatíveis com a rodovia.

Fabiano também responde por outra sequência de delitos, omissão de socorro, homicídio simples e com dolo eventual, embriaguez e tentativa de homicídio.

DA REPORTAGEM:

Colaborou: Guilherme Ramos, às 16h09.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS