Moradores se afastam da linha do trem, mas ficam no Brejo Alegre

Após decisão da Justiça, moradores do Brejo Alegre iniciam reposicionamento dos barracos.

“Em nome de Jesus, eu tenho fé que as coisas vão melhorar para nós” – Quitéria Josefa,
desempregada

Depois do juiz Adenir Pereira da Silva definir que as casas do Brejo Alegre devem respeitar o limite de 15 metros de distância da linha do trem, os moradores, que estão no local a pouco mais de um ano, iniciaram na manhã de ontem, as mudanças para reposicionar os barracos.

“Não deixamos gente ruim entrar no bairro. Quem nós suspeitamos que está com má intenção nós mandamos sair” – Maria Geovana Ferreira,
líder dos moradores

Maria Geovana Ferreira, 34 anos, mãe de duas meninas, moradora do bairro há um ano e uma das líderes da comunidade, foi uma das que precisaram realocar sua casa.
“A gente viu que não manda nada. Só temos valor no dia da votação. O rico cada vez fica mais fico e o pobre cada vez fica mais pobre. Essa é a verdade. A maioria está desempregada. Também por isso estamos nessa situação”, afirmou Maria Geovana.
Com aproximadamente 100 famílias, ou quase 300 pessoas, entre crianças, recém-nascidos, mulheres grávidas, animais e trabalhadores sem emprego, que vivem no local, segundo a líder da comunidade, eles aguardam uma resposta do governo para um dia sair da situação que se encontram.

“De vez em quando eu consigo um bico. Esperamos dias melhores” – Alexandre Ferreira da Silva,
pedreiro

“Sobrevivemos com ajuda dos outros, assistência social. Queríamos que o prefeito fosse honesto. Como falam que ele é ser humano? Ser humano não larga outro passando necessidade. Se ele não quiser da casa, a gente não liga, mas deixa a gente em paz. Sonhamos com o dia que essa situação vai mudar”, encerrou a moradora.

Segundo o advogado dos moradores, Anderson Aparecido Pereira, não existe um prazo determinado para as casas se adequarem, mas entre a próxima semana ou a outra, uma nova vistoria dos oficiais de Justiça deve ser feita no local.

 

Por Marcelo SCHAFFAUSER

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS