Modelo inspirado na reforma do ensino médio será oferecido em 37 Etecs

As Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) do Estado de São Paulo vão testar nas modelo inspirado na reforma do ensino médio a partir do primeiro semestre de 2018. Aprovada em fevereiro, a reforma do ensino médio propõe flexibilizar a carga horária dessa etapa de ensino. A ideia é permitir ao aluno fazer, por exemplo, um curso profissionalizante concomitantemente às disciplinas comuns do médio. O Ministério da Educação (MEC) estima que a reforma deva se tornar realidade em sala de aula, em larga escala, a partir de 2020, mas as redes têm autonomia para iniciar as mudanças.

De caráter experimental, o projeto prevê carga horária menor do que a dos cursos do atual Ensino Médio Integrado ao Técnico (Etim), também oferecido pelo governo estadual. Há menos horas de disciplinas do currículo comum, como Física, Sociologia e Português. Responsável pelo ensino técnico estadual, o Centro Paula Souza (CPS) diz que a experiência deve ampliar a oferta de vagas.

O modelo de Ensino Médio Integrado oferecido em 3.000 horas (1.000 por ano letivo) foi criado para atender às determinações da Lei 13.415/2017, que instituiu a Reforma do Ensino Médio e estabeleceu um teto de carga horária para essa modalidade. Dessa forma, a instituição atende às determinações legais e mantém seu Etim, deixando a opção para o aluno no processo seletivo.

O Médio Técnico Profissional concentra a carga horária do Ensino Médio e do Técnico em um único período, respeitando os limites previstos pela nova lei. Isso viabiliza a abertura de novas turmas em períodos alternativos, inclusive o vespertino, ampliando a oferta das escolas.

Além de resposta às determinações da reforma educacional, o modelo atende à demanda de jovens que desejam estudar em um único período (de manhã ou à tarde) para fazer um estágio, trabalhar ou envolver-se em outras atividades. Para o professor, o Médio Técnico representa uma possibilidade de ampliar a carga horária, uma vez que mais turmas serão abertas.

Questionado, o Centro Paula Souza informou que o novo modelo não substituirá o atual Etim, cuja carga horária não será alterada. O órgão estadual afirmou que no próximo processo seletivo vai oferecer duas mil vagas a mais no modelo de tempo integral, e que o projeto-piloto “é mais uma entre as diversas opções de formação profissional oferecidas” e está “dentro do que prevê a reforma do ensino médio”.

O novo modelo para o técnico será oferecido por 37 Etecs – são 221 colégios do tipo no Estado. O Centro Paula Souza não informou quais escolas terão a novidade nem em quais cidades. A lista de Etecs que terão essa alternativa de curso será divulgada quando tiver início o período de inscrições para o processo seletivo do 1º semestre de 2018.

 

Por Priscila Carvalho

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS