Mico tecnológico e tempestade política

Foto: Divulgação SMCS

Anunciada com pompa e circunstância no último dia 15 de dezembro como uma das raras conquistas do árido primeiro ano de governo de Edinho Araújo (PMDB), a Área Azul Digital queimou a largada e inaugurou a temporada de turbulências administrativas neste 2018 que acaba de começar.

Não só como mico tecnológico, mas, o que é bem pior, envolta em um processo contaminado por vícios e suspeitas de irregularidades, que foram reveladas em primeira mão nesta quarta-feira pela TVTEM, fruto de trabalho investigativo do jornalista Jocelito Paganelli. Resultado: o projeto foi abortado e a primeira cabeça já rolou. Outras correm sério risco de ter o mesmo destino, entre as quais a da presidente da Emurb, Vânia Pelegrini.

Dhoje Interior

No meio da tarde, a Emurb havia comunicado a imprensa sobre a suspensão temporária do sistema devido a falhas no aplicativo, com promessa de retorno até o final de semana. Enquanto batia cabeça com a nova tecnologia, se viu obrigada a explicar ao jornalista da TVTEM o fato de ter como funcionária comissionada uma das sócias da empresa que ganhou a licitação para gerenciamento do sistema da Área Azul Digital. Roberta Nunes Ferreira da Costa, nomeada em março do ano passado, prestava serviço no Parque Ecológico Danilo Santos de Miranda.

No comecinho da noite de ontem, por meio de nota oficial, Vânia Pelegrini comunicou a suspensão imediata do contrato de R$ 80 mil com a empresa responsável pela gestão do aplicativo, bem como a abertura de processo administrativo para apurar as denúncias de irregularidades. E também a exoneração de Roberta Nunes.

Ainda segundo a nota, a Emurb garante que vai dar continuidade ao Estacione, cujo projeto total de implantação recebeu investimento de R$ 350 mil. Até que todo o estrago, do ponto de vista político e gerencial, seja resolvido, os talões voltam às ruas com exclusividade. Que todo o processo de apuração seja transparente e, confirmadas as irregularidades, os envolvidos sejam devidamente responsabilizados pelos seus atos.

Fonte: Conexão Capivara