Mesmo com número menor, manifestantes param Av. Bady Bassit em protestos contra a Reforma da Previdência

Sindicatos protestam contra a Reforma da Previdência em São José do Rio Preto

No total, cerca de 700 pessoas compareceram às manifestações desta sexta-feira (14)

Aconteceu hoje pela manhã, um ato de protesto que teve como tema a reforma da Previdência, proposta pelo Governo de Jair Bolsonaro (PSL). Militantes de esquerda, além de representantes de diversas classes trabalhadoras e sindicalistas, terminaram a manifestação em frente ao INSS da Av. Bady Bassit com um fluxo de aproximadamente 700 pessoas entre às 9h30 e 11h.

A professora da UNESP, Mônica Abrantes Galindo, representante da Adunesp (Associação dos Docentes da UNESP) disse ao DHoje Interior que as manifestações têm peso importante sobre questões como esta (da reforma da previdência).

“Não sei se as manifestações terão impacto direto na decisão da aprovação ou não, dessa reforma, mas não podemos ficar parados, aceitando que essa reforma, como está, seja aprovada, prejudicando o grande público e que tenha caráter de privatização, disse.

A vereadora Márcia Caldas (PPS) participou das manifestações e disse que, “o problema não é uma reforma, mas sim esta reforma”. “Talvez uma reforma seja necessária, talvez devesse ter sido feita antes, mas esse texto, com essas mudanças não podem acontecer. A legitimidade das manifestações e o povo nas ruas mostra isso. Esperamos que tenha resultado”, disse a parlamentar.

O vendedor aposentado Antônio Carlos, de 64 anos lamentou que a população não tenha aderido tanto aos protestos. “Estamos aqui lutando pelos direitos de todos. Gostaria de ter visto mais pessoas aqui, se manifestando, mostrando que essa reforma vai acabar com o país”, disse indignado.

A edição de amanhã do DHoje Interior trará todas as informações de como foram as manifestações desta manhã (14).

Por Ygor ANDRADE

 

 

 

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS