Mau tempo reflete comportamento com lixo e outros resíduos na represa

Falta de conscientização é visível no lixo jogado na represa

A chuva dos últimos dias trouxe à tona o mau comportamento de rio-pretenses. É só dar uma volta pela Represa Municipal para encontrar sujeira. Nesta quarta-feira (11), era possível encontrar garrafas plásticas, entre outros objetos no Lago 1.

Esse lixo é jogado em vias públicas, parques, córregos e rios vai até a Represa com as águas da chuva, gerando grandes impactos ambientais, sociais e econômicos.

Dhoje Interior

O principal manancial de abastecimento do município é a Represa que é composta por três lagos do rio Preto, sendo este responsável por aproximadamente 25% do abastecimento urbano.

De acordo com o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto de Rio Preto), são retiradas, em média, 420 toneladas de material flutuante por mês da Represa. Só de lixo são, em média, 63 toneladas ao mês nos três lagos.

Essas limpezas são realizadas interruptamente, ao logo de todo ano, porém, o que determina a frequência é o acúmulo de materiais nas barreiras flutuantes instaladas ao longo dos lados.

O material flutuante é retirado pelo barco-trator ou pela equipe embarcada e transportado por caminhão até o local de processamento. Os resíduos sólidos são separados e descartados, já a vegetação vem sendo objeto de estudo para aproveitamento em cultivos agrícolas junto à Secretaria da Agricultura.

Ainda segundo a autarquia, a ocorrência de chuvas mais intensas no verão é um fator que intensifica as atividades de limpeza, já que há um grande carreamento de lixo urbano.

Por Vinícius Lopes