Marco Rillo descarta chances do PSL e diz que em 2020 eleições ficam entre Edinho e membros da esquerda

Marco Rillo disse que Riopretrans não cumpre contrato e prejudica população (Foto: Cláudio Lahos)

O vereador Marco Rillo, do PT, recebeu o DHoje Interior para um bate papo sobre a política nacional, local e eleições 2020.

O petista começou a entrevista respondendo a pergunta de como ele tem visto as medidas adotadas pelo atual Governo de Jair Bolsonaro.

“A presidência da república caiu no colo dele. Foi vencida porque grande parte da população não queria votar no PT e teve aquela situação da facada que foi crucial para a disputa”, destacou Rillo.

Ele também falou a respeito das mudanças em Leis e Projetos que estão tramitando. Segundo ele, Bolsonaro não preza pela vida e ignora temas importantes como a preservação ao Meio Ambiente.

“A gente (Esquerda e Centro Esquerda) lutou muito por algumas questões e trabalhamos muito há algumas décadas para avançar nas tratativas sobre trabalho, Saúde, distribuição de renda e, infelizmente, não estamos vendo isso, muito pelo contrário, estamos vendo um presidente que mexe em pontos que não são benéficos para a população”, reverberou ele.

Falando sobre a realidade rio-pretense, Rillo foi bastante direto: “Rio Preto sofre porque é uma cadeia de acontecimentos. Tudo respinga. Se caso começarem mesmo os cortes de verba para o Meio Ambiente, como fica, por exemplo, a reforma do Zoológico? É verba federal”, disse Rillo, destacando que Bolsonaro ignora, por exemplo, o Tratado da França.
Sobre as disputas eleitorais de 2020, Rillo disse que o PT está pronto para a corrida.

“Temos uma chapa com os nomes para vereador. Temos condições de disputar. Se firmarmos uma coligação com outros partidos de esquerda, temos chance de eleger muitos vereadores e quem sabe o prefeito, mas hoje, o cenário é Edinho contra a esquerda de Rio Preto”, formulou, deixando de fora a participação do PSL (Partido Social Liberal), partido de Bolsonaro e que vem realizando ações na cidade, como a visita do Deputado Federal Peternelli.

“Não. O PSL aqui acabou. É um rojão que perdeu a vareta e morreu”, comentou o parlamentar.

O vereador também foi perguntado a respeito do Consórcio Riopretrans, união das empresas Itamarati e Circular Santa Luzia, e disse que lá “só tem problema fiscal. A Itamarati, menos, mas a Santa Luzia sempre dominou e deu as cartas por aqui.

Antigamente, para eles conseguirem um reajuste era preciso apresentar a planilha de gastos, os motivos que levaram a chegar nos valores. Hoje não. Hoje simplesmente pedem e recebem. Se há planilha aberta, só o secretário de Trânsito vê”, disse o vereador, salientando que, ao seu ver, quem deveria cuidar dessa questão é a Administração e não a Pasta de Trânsito. “Se é uma questão de fluxo, tráfego, tudo bem, mas envolvendo pessoas, mobilidade, precisa ser diretamente com a Administração”.

“O que acontece é que a Riopretrans está sem fiscalização. Estão tirando as rotas interbairros e intra-bairros e rodando só nas avenidas, tem gente que anda dois quilômetros para pegar ônibus 5h30. Não interessa se tem lucro ou não, tem que cumprir o contrato”, destacou Rillo que relembrou os pedidos dos vereadores Celso Peixão em 2018 e Anderson Branco em 2019 para que a empresa apresente uma linha no Jardim Alvorada no horário das 5h30.

Finalizando a entrevista, Rillo lamentou que, nesta situação, o que acontece é que o “lucro protege a política”.

Por Ygor Andrade

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS