Major Olivaldi assume Ibama preocupado com macrotemas ambientais

Olivaldi Alves Borges Azevedo é associado do Instituto Brasileiro de Segurança Pública (IBSP)

Subcomandante do 4º Batalhão da Polícia Militar Ambiental em Rio Preto e professor universitário, o Major Olivaldi Alves Borges Azevedo teve sua nomeação como Diretor de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira. A expectativa é que tome posse na próxima semana.
“Sou um técnico. Entendo minha nomeação como reconhecimento profissional. Dediquei minha vida inteira a trabalhar em questões ambientais”, afirma.
De acordo com Olivaldi, o Ibama é um órgão de extrema importância para o país, sendo composto por técnicos muito qualificados.
“Pretendo fazer a diferença. Vou levar minha experiência e conhecimento e mudar o como fazer. Minha meta é trabalhar macrotemas ambientais e garantir o cumprimento da lei, deixando claro o que é de competência do governo federal e o que é responsabilidade dos estados e municípios”, pondera.
Conforme ele, a ideia é fortalecer o trabalho feito por prefeituras e governos estaduais e reservar à União assuntos de grande relevância na área ambiental.
“O que acontece na Amazônia é de grande interesse para o governo federal, bem como o tráfico de animais silvestres e a pesca marítima, mas os maus-tratos a animais e os resíduos sólidos, por exemplo, devem ser tratados pelos municípios e estados. Cada um deve cuidar do que é seu papel. É claro que a União pode e deve, se possível, ajudar e dialogar, mas sem descuidar daquilo que realmente é de interesse nacional”, comenta.

Perfil

Militar de carreira, ingressou na corporação em 1989 e desde 1997 passou a atuar na Florestal (denominação anterior da Ambiental). Mestre em Conservação da Fauna pela Universidade Federal de São Carlos e Especialista em Gestão e Manejo de Sistemas Florestais pela Universidade Federal de Lavras, solicitou o afastamento temporário do quadro de oficiais da PM paulista para ocupar o cargo no Governo Bolsonaro.
Como está na ativa, será agregado, ou seja, com o aval do governador João Doria será liberado para assumir a nova atribuição na União, que passará a ser a sua fonte pagadora.
O prazo máximo de afastamento é de dois anos, mas como está em período aquisitivo para aposentadoria (completa 30 anos de serviço em junho de 2019), pode entrar para inatividade antes do término da licença e continuar a exercer a função de Diretor no Ibama sem qualquer empecilho legal.
Casado, pai de um filho formado em Direito, aos 49 anos, Olivaldi é um nome respeitado entre os especialistas da área ambiental. Tido como um profissional competente e altamente qualificado, sua nomeação rendeu elogios na esfera acadêmica e em entidades de classe, como o Instituto Brasileiro de Segurança Pública (IBSP). Nascido em Votuporanga, se considera rio-pretense.
“Moro em Rio Preto desde criança. É minha cidade. Também tenho um apreço todo especial pelos 189 municípios da nossa região, incluindo São Carlos e Ribeirão, até a divisa com o Mato Grosso do Sul, onde trabalhei por muitos anos”, finaliza.
Por Daniele Jammal

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS