Mãe é suspeita de agredir filha de três meses

A criança ficou ferida na cabeça

Com um corte na cabeça, uma bebê de apenas três meses é uma suposta vítima de agressão, enquanto os pais discutiam durante uma briga na casa da vizinha. O caso aconteceu no início da noite da última segunda-feira, no bairro Eldorado, em Rio Preto.

Ainda de acordo com a equipe da Guarda Civil Municipal eles foram chamados por uma enfermeira chefe da unidade UPA Norte onde a bebê E.V.B.O., de apenas três meses deu entrada, com suspeita de ter sido agredida pela mãe.

A equipe encontrou no UPA somente a avó paterna do bebê A.A.B.S., 50 anos que afirmou aos guardas que o filho F.B.B., 27 anos e a esposa M.F.O.V.S.F., 21 anos estavam em casa e começaram a brigar, por esse motivo a bebê não parava de chorar. Foi quando a avó resolveu ir até a casa deles e ver o que estava acontecendo. Quando pegou a bebê, a avó viu que a criança estava ferida, com um corte na cabeça, que sangrava bastante.

A avó ainda contou aos guardas que saiu correndo para a rua pedindo socorro. Uma pessoa desconhecida parou e a levou até a UPA, junto com a criança.

“Meu filho e a mulher dele estavam brigando muito e nos gritos. Quando ouvi minha neta gritando corri na casa deles. Minha neta já estava sangrando na cabeça. A esposa do meu filho muito alterada jogando capacete nele. Só me entregou a bebê porque chamei meu marido. Em seguida corri pra rua pedir socorro”, diz a avó.

Os pais da criança foram encaminhados para a delegacia, onde afirmaram aos policiais que estavam brigando muito e que o irmão da mãe da bebê, com o nome de B.V. possui problemas mentais e interferiu na briga do casal, passando a jogar pedras na direção deles.

Neste momento o pai da criança afirma que abraçou a esposa, que estava com a bebê no colo, para proteger a filha das pedradas que cunhado jogava. Com o movimento dos braços, o pai fez com que a mãe da bebê batesse os dentes acidentalmente na cabeça da criança, na qual acabou ferindo a criança.

A bebê foi encaminhada para o Hospital da Criança para atendimento especializado. A assessoria do hospital informou a equipe do jornal DHoje que a criança passa bem e vai receber alta. A Delegacia da Mulher vai investigar o caso. (Colaborou Chiara Gélio)

SEM COMENTÁRIOS